Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 16 Maio |
home iconHistórias Inspiradoras
line break icon

A vida depois do ódio

Divulgação

Hypeness - publicado em 21/03/17

Este ex-neonazista está ajudando pessoas que saíram do movimento a reaprender a amar

Uma espiral de ódio, crise de identidade, ignorância frustração e rancor levaram o então jovem Christian Picciolini a atravessar toda sua juventude e início de vida adulta como importante membro de um dos grupos pioneiros no movimento neonazista nos EUA. Dos 14 aos 21, Picciolini liderou o Chicago’s CASH, um dos mais temidos e conhecidos grupos neonazistas americanos.

LAH6

Passados 22 anos de seu desligamento do grupo e da ideologia de ódio, Picciolini hoje lidera uma ONG de nome perfeitamente ilustrativo: Life After Hate– ou vida após o ódio. Sua organização ajuda neonazistas que, como ele, queiram deixar a vida de ódio e crimes para trás. Para chegar a tal mudança, no entanto, seu caminho foi longo.

LAH5

LAH8

Segundo Picciolini, depois de ver seus pais, italianos, sofrerem preconceito por serem estrangeiros nos EUA, e de ser expulso de quatro escolas – e ver seu coração se encher de rancor e fúria – o grupo neonazi lhe prometeu tudo aquilo que ele não encontrava: felicidade, pertencimento, e principalmente respostas – ainda que tais respostas fossem as piores possíveis. “Eles me prometeram o paraíso”, ele disse.

LAH2

LAH1Picciolini diante dos campos de concentração de Auschwitz e Dachau

Me prometerem que aqueles que me perseguiam iriam embora, que minha vida iria melhorar, que eu teria uma família e um propósito”. Além disso, ofereceram um culpado direto (e absolutamente delirante) para todos os seus problemas.

LAH4

Picciolini teve uma banda que tocava músicas de supremacia branca, e ajudou a recrutar muitos jovens para o movimento – vidas destruídas pelas quais ele hoje garante sentir profundo peso e responsabilidade. Foi só depois de abrir uma loja de discos racistas – e com isso passar a conviver com maior diversidade de pessoas – e principalmente se casar, aos 19 anos, e depois ter dois filhos, que sua vida mudou – e ele entendeu o tamanho do horror em que havia se envolvido.

LAH7

Meus filhos foram as primeiras pessoas que me permitiram voltar a amar depois de tantos anos de ódio”, ele afirma, garantindo que é preciso sentir-se bem consigo mesmo para deixar o movimento.

Ele então saiu do grupo, formou-se em Relação Internacionais, e fundou a ONG. A Life After Hate ajuda na educação e desradicalização de antigos extremistas, além de ajudar as famílias, trabalhar para pesquisas acadêmicas, e como consultoria e estratégias para combater o ódio. Em tempos de construção de muros, radicalização e tanto ódio, ver a história de Picciolini é ao menos um ponto de esperança.

LAH3

As pessoas que deixam esses grupos, sejam neonazistas ou jihadistas, precisam do apoio de outros que tenham passado pelo mesmo. Para o restante das pessoas, não é fácil entender por que caíram no extremismo”, ele afirma, militante hoje da boa e velha (e melhor) matéria prima que o ser humano possui: o amor, irrestrito e igual, entre todos.

LAH9

© fotos: divulgação

(via Hypeness)

Tags:
judeusnazismo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
2
Philip Kosloski
5 revelações surpreendentes do “terceiro segredo” de ...
3
Nossa Senhora de Fátima pede rezar o terço
Padre Reginaldo Manzotti
As 3 principais atitudes que Nossa Senhora de Fátima nos pediu
4
Soutane de Jean Paul II/attentat
Marzena Wilkanowicz-Devoud
Onde está a batina manchada de sangue de João Paulo II?
5
Nossa Senhora de Akita
Reportagem local
O grave alerta de Nossa Senhora de Akita sobre o maligno infiltra...
6
Irmã Lúcia, de Fátima, e o Papa São João Paulo II
Francisco Vêneto
O terço “funciona”, garante a Irmã Lúcia, de Fátima: ...
7
FATIMA
Reportagem local
Uma carta da Irmã Lúcia, vidente de Fátima, sobre a grandiosidade...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia