Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Os benefícios de escrever à mão

Erkki Makkonen | Getty Images
Writing letter to a friend. Selective focus and shallow depth of field.
Compartilhar

A tecnologia está deixando a arte da caligrafia para trás. E nós saímos perdendo

Em um mundo onde o teclado se destaca em nossos afazeres cotidianos, a grande arte de escrever à mão vai se perdendo a cada dia. Computadores, tablets e celulares fazem-nos deixar de lado o papel e o lápis, negligenciando os grandes benefícios que a escrita nos traz, sobretudo ao nosso cérebro.

Pesquisas realizadas pela Universidade de Stavanger (Noruega) e pela Universidade do Mediterrâneo de Marselha (França) analisaram a reação do cérebro quando as pessoas escrevem utilizando o teclado com as duas mãos e quando se usa apenas uma mão sobre o papel. As duas universidades chegaram à conclusão que, ao escrever à mão, são ativados três processos cerebrais simultaneamente: a área visual (já que estamos vendo o que está no nosso papel), a habilidade motora (porque colocamos o lápis ou a caneta sobre o papel e os movemos para traçar as letras) e a capacidade cognitiva (já que lembrar da forma de cada letra requer um tipo diferente de resposta do cérebro).

 

Portanto, escrever à mão:

  • Ajuda na memorização dos conteúdos para poder elaborá-los melhor e para reformulá-los;
  • Ajuda na criatividade. Gera novas ideias, coordenando-as com emoções para torná-las ativas e transcrevê-las. Um processo que aumenta a capacidade criativa de cada um de nós;
  • Ajuda na ortografia, já que é mais fácil cometer erros e, com eles, aprender e melhorar;
  • Coloca-nos em equilíbrio com nós mesmos, pois permite expressar emoções e ideias para que tornem “físicas”. Ao reler o que escrevemos, podemos fazer uma autocrítica. É como ver-se de fora;
  • Melhora a aprendizagem, já que o corpo e a mente elaboram conceitos mentais que facilitam a compreensão;
  • Estimula a capacidade cognitiva do cérebro. Quando escrevemos, obrigamos o cérebro a reduzir a velocidade de suas funções, de modo que a mão possa escrever fisicamente o conceito em um papel. O cérebro ativa as funções relacionadas com a revisão e reorganização dos pensamentos;
  • Ajuda a viver as emoções de forma serena. Muitas vezes, serve de alívio quando temos sentimentos ambivalentes e desencontrados. A escrita à mão também pode nos ajudar a administrar a raiva e as chateações.

Por estas e por tantas outras razões, seria necessário fomentar a caligrafia nas escolas, a fim de estimular nas crianças todas estas habilidades.

Atualmente os estudantes quase não praticam a arte de escrever à mão, já que usam os teclados cada vez mais cedo.