Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Animais que me aproximam do bem

ccho-CC
Compartilhar

O exemplo que Santo Antônio Claret tirou dos animais

O Espírito Santo me diz: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, observa seu proceder e dela a aprende a sabedoria” (Pr 6,6).

Desejo aprender não só da formiga, mas também do galo, do burro e do cão.

O galo

“Quem deu inteligência ao galo?”(Jó 38,36); “E nesse instante um galo cantou” (Mt 26,74).

  1. O galo acorda-me e eu, como Pedro, devo me lembrar dos pecados para os chorar;
  2. Assim como o galo canta de dia e de noite, assim tenho de louvar a Deus a cada hora e levar os outros a fazer o mesmo.
  3. O galo vigia o galinheiro dia e noite. Eu devo cuidar noite e dia das almas que o Senhor
    me confiou.
  4. O galo, ao perceber o menor ruído de perigo, dá alarme. Eu devo fazer o mesmo. Exortar as pessoas ao menor perigo de pecar.
  5. O galo defende seu terreiro quando o gavião ou outro animal ou ave de rapina vem para atacar. Devo defender as almas que o Senhor me confiou, contra os gaviões dos vícios, erros e pecados.
  6. O galo é muito generoso, se encontra comida, chama as galinhas. Devo abster-me das comodidades e ser generoso e caritativo, principalmente com os mais necessitados.
  7. O galo, antes de cantar, agita as asas. Eu, antes de pregar, devo agitar as asas do estudo e da oração.
  8. O galo é muito fecundo. Eu o devo ser, espiritualmente, a tal ponto, que possa dizer como o apóstolo Paulo: “Pelo Evangelho, eu vos gerei em Cristo” (1Cor).

O burro

  1. O burro é o animal mais humilde por natureza. Seu próprio nome denota desprezo, sua habitação, uma cocheira. Sua comida é palha e pobre os seus arreios. Também devo ser humilde, pobre na moradia, na roupa e na comida, para dar exemplo às pessoas como Jesus Cristo. Já que, pela natureza frágil, minha tendência é para o orgulho e o poder.
  2. O burro é um animal muito paciente. Leva pessoas e cargas, recebe pancadas, sem se queixar. Hei de levar com paciência a carga dos deveres e sofrer com resignação, trabalhos, perseguições e calúnias.

  3. Nossa Senhora serviu-se do burro para Sua viagem na fuga para o Egito, com a perseguição de Herodes. Também me ofereço a Maria para levar o seu nome a toda a parte com prazer e alegria. Também meditar com devoção os santos mistérios, particularmente os dolorosos.
  4. Jesus usou um jumento para sua entrada triunfal em Jerusalém. Peço a Jesus que se digne a servir-se de mim para levar a toda gente o seu triunfo sobre o mal dos pecados e com ele entrar triunfante na Glória do Pai. A Ele todo louvor e toda a glória que lhe puder dar em minha vida missionária.

O cachorro

“Cães mudos que não sabem latir” (Is 56,10).

  1. O cão é um animal tão fiel e constante companheiro do seu dono, que nem a pobreza nem o trabalho o separam dele. A mesma fidelidade e constância devem ligar-me ao meu Senhor Jesus Cristo e conservar-me no meu serviço.
    Direi com São Paulo: “Nem a vida, nem a morte, nem outra coisa qualquer, me pode separar do amor de Cristo” (Rm8,35).

  2. O cachorro é um animal leal. Mais obediente que um filho ou um empregado, mais dócil que uma criança. Não só faz voluntariamente o que manda seu dono, mas olha a fisionomia do seu senhor para conhecer sua intenção e vontade, a fim de cumpri-lasem esperar que o mande.
    E ainda o faz com a maior prontidão e alegria e ainda corresponde aos afetos do dono, de tal maneira que é amigo dos amigos e inimigos dos estranhos a seu dono. Devo possuir essas excelentes qualidades e fazê-las servir a meu Deus e Senhor.
    Farei, portanto, o que ele mandar diretamente ou por intermédio dos seus representantes. Os amigos de Deus serão meus amigos e os seus inimigos tratarei com respeito, porém sem tolerâncias. E sem contestação, deverei lutar contra os inimigos da alma, visto não serem amigos de Deus.
  3. O cachorro vigia durante o dia e à noite redobra a sua vigilância. É o guarda fiel. Se suspeita das más intenções de alguém, ladra sem parar e avança, se decide. A defesa de seu dono está acima de tudo. Proponho vigiar-me também e estar contra os inimigos de Deus.

  4. O maior prazer do cão é estar e andar na presença de seu dono. Mostrar-lhe contentamento. Procurarei andar sempre, com prazer e alegria na presença de meu Deus, o querido Senhor, e assim não pecarei e serei perfeito, segundo a palavra do Senhor à Abraão: “Anda na minha presença e sê perfeito”(Gn 17,1).

Fonte: retirado da autobiografia de Santo Antônio Maria Claret.

Via Associação Apostolado do Sagrado Coração de Jesus