Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 27 Outubro |
Aleteia logo
home iconEstilo de vida
line break icon

O que os homens não devem esperar das mulheres (e vice-versa)

© Antonio Guillem/Shutterstock

LaFamilia.info - publicado em 03/05/17

Cada um tem um jeito de ver a vida e modos diferentes de agir e de pensar, determinados por sua mais intrínseca natureza

Muitos dos problemas matrimoniais têm suas origens na baixa capacidade dos cônjuges de se compreenderem a partir da essência de cada um, pois os homens e as mulheres têm maneiras diferentes de ver a vida, de agir e de pensar. E tudo isso é determinado por sua mais intrínseca natureza.

Somos iguais em dignidade, mas complementares enquanto gênero. O homem tem coisas que a mulher não tem nem precisa ter, e vice-versa. No entanto, um dos erros mais comuns entre os casais é esperar que as mulheres reajam como se fossem homens, ou os homens como se fossem mulheres.

É sobre isso que autora de Amar sem sofrer, María Jesús Alava Reyes, falou ao diário ABC.es. Ela explica que, do ponto de vista da Psicologia, “ambas as posturas obedecem mais à área de desejo dos que a dos fatos; essas expectativas não têm nenhuma base científica, e suas probabilidades de ocorrer são mínimas”.

A especialista destaca que a mulher não deve cometer o erro de esperar que os homens:

– Saibam ouvi-las como suas amigas;

– Não se adiantem, deem solução ou ofereçam conselhos sem que alguém os peça;

– Tenham sensibilidade parecida com a delas e deem importância às coisas que são fundamentais para as mulheres;

– Foquem nos detalhes, lembrem-se de datas e as surpreendam com propostas criativas;

– Sejam capazes de não ficar apenas na literalidade das palavras que as mulheres dizem e saibam captar as emoções que se refletem na comunicação verbal feminina;

– Não interrompam a mulher quando ela está falando;

– Não reajam mal quando estão fazendo alguma coisa e as mulheres pedem ajuda para uma tarefa específica do lar.

Da mesma forma, os homens não devem cometer o erro de esperar que as mulheres:

– Sejam concretas quando falam, não se percam nos detalhes e não deem rodeios para dizer o que querem;

– Façam as coisas separadamente, já que a natureza delas lhes permite realizar várias tarefas de uma só vez, com a maior espontaneidade e eficácia;

– Saibam que eles não são bons ouvintes e que não queiram falar com eles quando chegarem em casa;

– Deixem de ser românticas e se tornem pragmáticas nas relações afetivas.

Tudo isso não quer dizer que cada um pode se desculpar por sua natureza para não melhorar certos aspectos. Pelo contrário, é importante conhecer as características de homens e mulheres para que não sejam criadas falsas expectativas e para que cada um entenda melhor as reações do cônjuge diante de situações pontuais.

Conselhos para os cônjuges

O homem é pragmático, precisa resolver problemas e não tem necessidade de se expressar, mas também necessita ser valorizado e aceito. A mulher precisa validar seus sentimentos, ser ouvida e fica incomodada quando não pode se expressar. Ninguém é melhor ou pior do que ninguém. São diferentes, maravilhosamente contrários.

Se entendermos esta diferença entre homem e mulher, encontraremos a razão de muitas das reações dos casais em momentos de conflitos no casamento. A autora Nelly Rojas escreveu uma série de sugestões para homens e mulheres casados:

Para o homem: escute a mulher, abrace-a em silêncio, validando os sentimentos dela. Validar não é concordar; é aceitar a diferença. Não a ignore nem a critique. Lembre-se de que a mulher fala de seus problemas para se aproximar, não para obter soluções nem para culpá-lo. Trabalhe com a expectativa de compartilhar o poder e o controle.

Para a mulher: apoie o homem, sem criticá-lo. Não seja a mãe dele, ao querer mudá-lo. Lembre-se de que ele se sente culpado quando você fala de seus problemas. Coloque limites, porque, desta forma, ele se sente estimulado a se dar mais e a mudar suas condutas. Expresse os sentimentos que você tem de forma assertiva, ou seja, sem “indiretas”. Trabalhe para melhorar a sua autoestima.

Artigo originalmente publicado porlafamilia.info

Tags:
CasamentoRelacionamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SANDRA SABATTINI
Francisco Vêneto
Primeira noiva em processo de canonização na história foi beatifi...
2
EUCHARIST
Reportagem local
O que fazer se a hóstia cair no chão durante a Missa?
3
Transplante de rins
Francisco Vêneto
Transplante de rim de porco em humanos: a Igreja tem alguma objeç...
4
Pe. Jonas Magno de Oliveira e sua mãe
Francisco Vêneto
Mãe de padre brasileiro se torna freira na mesma família religios...
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco: “Tenho medo dos diabos educados”
6
As irmãs biológicas que se tornaram freiras no instituto Iesu Communio
Francisco Vêneto
As cinco irmãs biológicas que se tornaram freiras em apenas 2 ano...
7
Don José María Aicua Marín
Dolors Massot
Padre morre de ataque cardíaco enquanto celebrava funeral
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia