Aleteia

Os 3 C´s de Fátima

Os três pastorinhos, Jacinta, Francisco e Lúcia, que testemunharam as aparições de Nossa Senhora de Fátima.
Compartilhar
Comentar

Deus passou um século clamando por isso

Eu descobri uma notável citação de são João Paulo II quando estava escrevendo a nova publicação Fátima Family Handbook . Se até então sentia que a mensagem de Fátima era bonita, mas um pouco fora de moda e muito intensa, agora já não acho mais.

Quando o papa João Paulo II chegou a Portugal para beatificar dois dos três pastorzinhos que viram Nossa Senhora de Fátima, ele se encontrou com muitas crianças vestidas com traje tradicional.

“Queridos meninas e meninas! Vi muitos de vocês vestidos como Francisco e Jacinta. Vocês estão muito lindos! Mas dentro de instantes, ou amanhã, vocês mudarão suas roupas e os pastorzinhos desaparecerão. Eles não deveriam desaparecer, deveriam?”

“Não!”, gritaram eles.

Então, o papa resumiu as três práticas-chaves de Fátima que eles deveriam adotar pela Igreja e pelas almas – práticas que, de maneira surpreendente, coincidem com devoções que muitos de nós adotamos recentemente.

Primeiro, são João Paulo II disse às crianças: “Nossa Senhora necessita que todos vocês consolem Jesus, que está triste por causa das coisas ruins que lhe fizeram”.

O drama de Fátima começou em 1.916, quando Francisco tinha nove anos e, juntamente com sua irmã e sua prima, recebeu três vezes a visita de um anjo que lhes traziam a Eucaristia. A mensagem do anjo: “Consolem seu Deus”.

A partir de então, a vida de Francisco, “foi movida por um só desejo”, disse o papa: “consolar Jesus e fazê-lo feliz”.

Os grandes santos de nosso tempo foram movidos por este mesmo desejo, particularmente santa Teresa de Calcutá, em cujas capelas estavam escritas as palavras “Tenho sede” nas paredes próximas ao tabernáculo. A missão de Madre Teresa era saciar a sede de amor que Jesus tinha.

Porém, para muitos de nós “consolar nosso Deus” espiritualmente pode ser a expressão da adoração eucarística. Milhões de pessoas responderam só agora ao pedido de Jesus em Getsêmani.

 

As capelas de adoração perpétua eram raras e limitadas a algumas comunidades religiosas, até que os primeiros leigos começaram a frequentá-las, no século XX. Agora, são comuns e o Vaticano já identificou milhares delas ao redor do mundo.

Francisco dizia frequentemente: “Quero consolar Jesus no Santíssimo Sacramento”. Um século depois, muitos estão fazendo o mesmo.

Segundo: João Paulo II disse às crianças em Fátima, “Jesus precisa de suas orações e de seus sacrifícios pelos pecadores”.

“A pequena Jacinta sentiu e experimentou pessoalmente a angústia de Nossa Senhora, oferecendo-se heroicamente como vítima dos pecadores”, explicou o papa.

A vida de Jacinta estava marcada pela visão do inferno que Nossa Senhora lhe mostrou, em que ela viu o horror –  e terrivelmente comum – que é para os pecadores abandonar Deus eternamente.

No meio do século, a devoção à Divina Misericórdia se transformou em uma das devoções católicas mais populares do mundo.

O inferno é a verdade tácita que dá poder à Divina Misericórdia. Sem o “lago de fogo” que Fátima nos lembrou, não precisaríamos do “oceano de misericórdia” revelado por santa Faustina.

Terceiro: São João Paulo também disse: “Peça a seus pais e professores que os inscrevam na “escola” de Nossa Senhora, para que ela possa ensinar vocês a ser como os pastorzinhos”.

Então, ele falou sobre a consagração a Nossa Senhora de são Luis de Montfort, dizendo: “Foi assim que os pastorzinhos se tornaram santos tão rapidamente”.

Hoje, a “total consagração a Maria” de Montfort cresceu em popularidade, graças ao livro do padre Michael Gaitl 33 Days to Morning Glory, que mostra o quanto foi importante a figura católica mais popular de nosso tempo.

Padre Gaitley parece ter um ou mais livros para cada uma das práticas que são João Paulo II pediu: Consoling The Heart of Jesus e 33 Days to Merciful Love, para iniciantes.

No livro, eu chamo essa práticas de 3 C´s de Fátima: consolação, conversão e consagração. E ainda ofereço maneiras práticas de viver cada uma delas em família.

Se alguma vez Deus usou voz alta para chamar nossa atenção, foi para nos alertar em relação a esses 3 C´s, que ele repete infinitamente, usando todos os meios possíveis.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia