Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 24 Junho |
São Rumoldo
home iconEspiritualidade
line break icon

Assim morreu a santa que viu Nossa Senhora de Lourdes

Creative Commons

Aleteia Brasil - publicado em 10/05/17

Um comovente relato da partida de Santa Bernadette para a vida eterna

Uma superiora visitou-a no leito das dores: – Que faz aqui, minha preguiçosa? – perguntou sorrindo, amável. – Minha Madre, eu estou no meu ofício. – E que ofício é o seu, minha filha? – O meu ofício é sofrer e estar doente. Mandaram-lhe um crucifixo para a cabeceira da cama. – Sou mais feliz – disse Bernadette – com o meu Cristo no leito de dores do que uma rainha no seu trono. Às crises de asma, dolorosas e terríveis, juntaram-se os vômitos de sangue, a opressão do peito e dores intoleráveis causadas por um abcesso que se formou no joelho direito. Mais um tumor e uma aquilose. Os sofrimentos eram horríveis e a vítima tinha já a face cadavérica. Não dormia um só instante. Às vezes, a natureza deixava escapar um grito de dor, mas a Irmã Maria Bernarda (Bernadette) humilhava-se e sorria heroicamente, repetindo: – Perdão, meu Jesus! Meu Deus, eu vos ofereço o meu sofrimento! Meu Deus, eu vos amo! O capelão do mosteiro lhe disse que pensasse no Céu e que iria contemplar a beleza da Imaculada. – Oh -respondeu ela -, como este pensamento me faz bem! Às vezes, murmurava com almejo do Céu: – Oh, Céu! Dizem que muitas almas não foram diretamente para o Céu porque não o desejaram bastante aqui no mundo. Isto não acontece comigo! Ah, vamos para o Céu, trabalhemos, soframos pelo Céu! O resto nada vale. A moléstia se agravava cada vez mais. Ela, sempre resignada. Disse então: – Ó cruz, vós sois o altar no qual eu quero me sacrificar com Jesus agonizante. O coração de Jesus é o meu tesouro. No coração de Jesus viverei e morrerei em paz no meio dos sofrimentos. Despojou-se de tudo que possuía: algumas imagens e santinhos. Só conservou um crucifixo. – Só tenho necessidade dele. Só ele me basta. Depois da festa de São José, disse: – Eu pedi a São José uma só graça: a graça de uma boa morte. No dia 28 de março, a superiora lhe perguntou se desejava receber a extrema unção. Aceitou-a com alegria! Às duas horas da tarde, o capelão lhe administrava o sacramento dos enfermos. Recebeu-o com edificante fervor em presença de boa parte da comunidade. – Minhas irmãs, peço-vos perdão por todos os aborrecimentos e trabalhos que vos dei, das minhas infidelidades na vida religiosa e do mau exemplo que dei às minhas companheiras, sobretudo pelo meu orgulho. O olhar de Bernadette, durante toda a doença, conservou-se belo, vivo, impressionante. Era aquele olhar da visão de Massabielle. O demônio a tentava, Nosso Senhor permitia, a fim de purificar ainda mais aquela almazinha privilegiada. Ela ficava num estado de agonia dolorosa e horrível, com a face em expressão de espanto, e repetia: – Vai-te, Satanás! Vai-te, Satanás! O capelão lhe disse: – Ofereça a Jesus o sacrifício da vida, minha filha. – Que sacrifício, meu padre? Não é sacrifício deixar esta pobre terra, onde se encontra tanta dificuldade para servir a Deus! Perguntaram-lhe: – Sofre muito, minha irmã? – Sim, mas tudo é bom para o Céu – respondeu, com doce resignação. – Eu vou pedir à boa Mãe do Céu que lhe dê alguma consolação, minha Irmã Maria Bernarda. – Não, não – repetiu ela -, não peça consolações. Peça a Nossa Senhora força e paciência para mim. Só isto… Quarta-Feira Santa, o capelão foi chamado às pressas para a Irmã Maria Bernarda. Ela estava na poltrona, sentada, sem poder respirar, num martírio cruel. Confessou-se pela última vez. – Minha filhinha – disse-lhe a Madre superiora -, agora está na cruz, não é? Bernadette abriu os braços em forma de cruz e murmurou: – Meu Jesus! Meu Jesus! Oh, como vos amo! Para não perder o crucifixo, pediu que o pusessem em seu peito. Recitaram a oração dos agonizantes. Ela repetia as jaculatórias que lhe diziam ao ouvido. Uma hora antes da morte, ficou tranquila, fitou um ponto do alto. Depois exclamou, feliz, três vezes: – Oh! E alguns segundos depois: — Meu Deus, eu vos amo de todo o meu coração, de toda a minha alma, com todas as minhas forças. Tomou o crucifixo, beijou-o, pediu perdão à comunidade e disse: – Eu tenho sede! Deram-lhe água. Apenas molhou os lábios. Fez o sinal da Cruz, aquele admirável sinal da Cruz que só ela sabia fazer. Murmurou, alguns instantes depois: – Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por mim, pobre pecadora… pobre pecadora… E expirou suavemente. Eram três horas e um quarto de tarde de Quinta-Feira Santa, 16 de abril de 1879.

____________

Mons. Ascânio Brandão, em “Santa Bernadette, a confidente de Lourdes”, Ed. Vozes, 1956, 3ª. edição

Tags:
MorteNossa SenhoraSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
CARLO ACUTIS
Francisco Vêneto
Corpo incorrupto: quais foram os tratamentos aplicados ao rosto d...
4
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
5
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
6
lenda São Cipriano Santa Justina
Aleteia Brasil
São Cipriano era mesmo bruxo?
7
COMMUNION
Philip Kosloski
Antes da Comunhão, reze este ato de fé na presença real de Cristo
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia