Aleteia

Em que postura os cristãos primitivos oravam?

Compartilhar
Comentar

A resposta está nas catacumbas romanas

Quando se estuda a primitiva arte e iconografia cristã, encontra-se uma postura comum em várias representações – inclusive em algumas relacionadas à Santíssima Virgem Maria.

Esta postura é chamada, em latim, de “orans” (pronuncia-se “órans”), ou seja, “pessoa orando” ou “pessoa orante”. A figura é retratada com os braços estendidos e as palmas das mãos voltadas para cima.

Trata-se de uma posição frequente no mundo antigo para os momentos de recolhimento espiritual: não era exclusiva do cristianismo, portanto. Aliás, a maioria dos pagãos rezava dessa forma e até mesmo divindades pagãs eram representadas de pé ou sentadas na posição “orans”.

Colin B. Donovan dá uma excelente explicação sobre essa postura e a sua associação à oração cristã:

Pense no que fazemos quando invocamos alguém. Podemos colocar os braços à nossa frente como se estivéssemos dizendo à pessoa: “Eu imploro, me ajude”. Parece um gesto humano natural, que vem do íntimo, como ajoelhar-se para adorar ou para expressar sofrimento. Volte essa postura para os céus e pronto: eis a posição “orans”. Com o advento do cristianismo, a posição “orans” ganhou simbolismo adicional, ligado à crucificação. Quando os cristãos oravam, eles ofereciam a sua súplica a Deus imitando os braços estendidos de Jesus na cruz.

Além da postura “orans”, os primeiros cristãos também rezavam de joelhos ou prostrados no chão.

Veja mais dois artigos maravilhosos sobre os primeiros cristãos:

Símbolo secreto cristão: por que o peixe?

Uma carta de mais de mil anos dá testemunho: os cristãos são a alma do mundo

Compartilhar
Comentar
Boletim
Receba Aleteia todo dia