Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Estresse e bagunça? 5 maneiras de alcançar uma mentalidade mais minimalista

Compartilhar

Especialistas em minimalismo falam sobre maneiras reais de começar a remover coisas desnecessárias

Coisas. Todo mundo tem, mas o quanto devemos ter é uma questão que mais pessoas estão tentando responder, pois a ideia de “minimalismo” está ganhando força. Minimalismo – a noção de que menos é mais quando se trata de coisas materiais – não se refere apenas ao abandono do consumismo excessivo, mas ao que se pode ganhar com a mentalidade de simplesmente ter e usar menos.

As famílias americanas estão se afogando em excesso, e todos sentimos a carga de acumular tudo. Quantos de nós adoraríamos passar menos tempo limpando, organizando, até mesmo deixando de comprar coisas inúteis?

A maioria das pessoas provavelmente não sonha passar as férias ou fins de semana ​​limpando a caixa de brinquedos ou varrendo a garagem. E, no entanto, quando somamos nossas horas de lazer removendo, limpando e gerenciando nossas coisas “desnecessárias”, o tempo que gastamos é provavelmente mais do que poderíamos sonhar.

Douglas Scortegagna-CC

O objetivo do minimalismo é passar menos tempo no mundo material das “coisas”, a fim de dedicar mais tempo, energia e esforço ao intangível – cultivando relacionamentos significativos, criando memórias, ajudando e servindo na comunidade, sendo criativos: simplesmente viver.

Toda essa conversa sobre o minimalismo pode fazer você sonhar com um espaço sereno, paredes brancas frescas e apenas algumas peças de decoração simples que complementam os armários perfeitamente purificados (e limpos) – mas talvez sua casa não seja tão perfeita quanto as casas que encontramos nas revistas.

Todos nós podemos nos beneficiar da prática de liberar espaço, tempo e energia para coisas de maior significado e substância – não é necessário um modelo de casa. Pedimos a alguns especialistas em minimalismo para compartilhar suas dicas para se livrar da confusão e da loucura. Aqui está o que eles disseram:

Defina minimalismo para você

Não existe uma razão única para remover coisas desnecessárias ou abraçar um estilo de vida mais leve. Colin Wright, do blog focado em minimalismo Exile Lifestyle, aconselha ter metas claras sobre o motivo pelo qual você está removendo coisas desnecessárias. “Dê um passo para trás, olhe o quadro geral, entenda quem você é e para onde está indo, e então comece a abordar o que é mais importante e evitar o que não é”.

Uma vez que você descobriu seu objetivo final em remover coisas desnecessárias, “o desdobramento e o reordenamento são muito mais fáceis, e cada ato é muito mais proposital e eficaz”. Então, talvez não apenas abra alguns armários e comece a jogar fora coisas guardadas. Ao invés disso, dê-se razões claras para buscar a simplicidade e sua própria marca pessoal de minimalismo começará a surgir.

Comece com lugares pequenos

Se você é como a maioria das pessoas, você olhará ao redor de sua casa repleta de coisas e se perguntará se a liberdade do minimalismo é mesmo possível para você.

Tente se concentrar em uma pequena área de sua casa que pode ser reorganizada. Talvez seja a caixa de brinquedos, uma gaveta da cozinha ou mesmo sua bolsa – um passo de cada vez pode ajudar as coisas a ficarem gerenciáveis ​​e prepará-lo para uma limpeza bem-sucedida. Ben Soreff, do House 2 Home Organizing, enfatiza a conexão emocional entre desordem e estresse ou ansiedade. “A maioria das pessoas tem ansiedade quando não tem controle. Quando as coisas se acumulam ao seu redor, você se estressa. Uma coisa que devemos lembrar é que a organização não é sobre coisas, é sobre o tempo”.

Em vez de acreditar que você tem que limpar e organizar toda a casa de uma só vez, Soreff diz para “definir um tempo para trabalhar uma pequena área da casa”. Quer se dar um desafio divertido a cada dia? Coloque no seu telefone 15 minutos e limpe um espaço até que o tempo acabe. Logo você não terá muito esforço para remover todas as coisas desnecessárias.

Atribua valor

Então você está pronto para remover as coisas excessivas e reorganizar, mas você não consegue abrir mão de nada – e se você precisar disso mais tarde? Joshua Becker, autor de Clutterfree with Kids e do blog Becoming Minimalist, disse em entrevista a Mint:  “Minimalismo força questões de valor, propósito e significado. Pense nisso desta forma, você não pode realmente saber quais pertences são essenciais sem uma compreensão do seu propósito mais elevado”.

Ao começar sua própria jornada para remover coisas desnecessárias e simplificação, ele “pensou que [ele] iria apenas remover um monte de lixo da [sua] casa. Ele continuou: “Se eu não estava mais encontrando sucesso e significado nas coisas que eu possuía, onde eu ficaria? E como eu precisaria projetar minha vida?”. Talvez você precise treinar sua mente novamente para colocar o valor em coisas que não são tangíveis. Talvez, em vez de organizar e gerenciar coisas, sua família queira buscar generosidade, aptidão física ou mesmo ter mais aventuras ao ar livre todos juntos! Seja o que for que você está buscando, mantenha essa ideia enquanto você começa a doar coisas.

Esteja atento sobre o sentimentalismo

Festas de aniversário, Natal, e os presentes, especialmente para crianças, podem começar a se aglomerar por todos os lados. Sejam os avós generosos ou você parando no corredor de brinquedos toda vez que vai ao supermercado, a maioria das famílias tem problemas para gerenciar brinquedos (muitas pessoas sentem uma sensação de culpa por doar coisas que ganharam de presente), mas os presentes são apenas isso – presentes… justamente para que aquele que ganha decida como usá-los. As heranças familiares carregam o mesmo peso, sejam de valor real ou não.

Quando se trata de manter coisas por causa do sentimentalismo, Zoe Kim de The Minimalist Plate sugere tirar uma foto do item para recordação, ao invés de viver com uma garagem cheia de “memórias” que simplesmente ocupam espaço. Ela também aconselha os minimalistas em ascensão a considerar se você ficaria confortável deixando suas coisas para alguém se ocupar quando você for embora.

Shutterstock

Pare de comparar

Courtney Carver de Be More with Less lembra-nos de uma verdadeira pérola (ainda que difícil de executar!) quando se trata de encontrar alegria no que já temos: abandone as comparações. Pergunte a si mesma o que você realmente precisa. As chances são de que você não precise de mais coisas”.

Verifique o seu carrinho

Com envio rápido e disponibilidade 24 horas, 7 dias por semana de compras online, é fácil acumular coisas extras com apenas alguns cliques. Mãe de quatro filhos, Andi P. Compton, de Spoken Bride, sugere obter um controle sobre as coisas, usando mais a função de “guardar no carrinho para depois” nas compras online. Ao invés de simplesmente dirigir-se para finalizar sua compra virtual assim que encontrar o que você “precisa”, ela sugere salvar os itens deixando-os no carrinho, voltando a eles alguns dias ou até mesmo semanas depois. Na maioria das vezes, você provavelmente esquecerá que você selecionou esses itens e perceberá que você realmente nunca precisou deles! Este conceito pode ser aplicado em qualquer lugar que você fizer compras, e pode evitar compras por impulso.

You Tube