Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 18 Janeiro |
home iconReligião
line break icon

Francisco pede à Colômbia que abandone 'cultura da morte'

CARTAGENA,POPE FRANCIS

Marko Vombergar | Aleteia | I.Media

Agências de Notícias - publicado em 10/09/17

O papa Francisco pediu neste domingo à Colômbia que troque “a cultura da morte” pela “da vida”, ao encerrar sua visita a um país que tenta superar mais de meio século de uma sangrento conflito armado.

“É preciso gerar de baixo uma mudança cultural: responder à cultura da morte, da violência, com a cultura da vida, do encontro”, disse o papa no porto de Cartagena, durante a última das quatro missas que celebrou nesta viagem à Colômbia.

Francisco, que em sua visita defendeu a reconciliação em um país que busca acabar com o último conflito armado das Américas, exortou os colombianos a construir a paz “não com a língua, mas sim com as mãos e as obras”.

“Se a Colômbia quer uma paz estável e duradoura, tem que dar um passo urgente” na direção “do bem comum, da equidade, da justiça, do respeito à natureza humana e a suas exigências”.

Francisco apoiou com firmeza o acordo de paz firmado em novembro entre o governo de Juan Manuel Santos e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que foram a principal guerrilha do continente e agora formam um novo partido político.

“Se trata de um acordo de convivência, de um pacto social e cultural”, destacou o papa em sua última mensagem antes de partir neste domingo de volta ao Vaticano, na qual também defendeu o respeito à natureza, aos direitos humanos e aos menos favorecidos.

O papa recordou que durante esta viagem que o levou a Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena escutou diversos testemunhos de vítimas com “ferimentos terríveis que pode contemplar em seus próprios corpos” e que, apesar disto, “foram ao encontro das pessoas que os feriram”.

Na Colômbia, Francisco insistiu em sua mensagem de paz e reconciliação no momento em que o país está a ponto de encerrar o último conflito armado das Américas, que deixou mais de 7 milhões de vítimas, entre mortos, desaparecidos e deslocados, em mais de meio século.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia