Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Francisco pede à Colômbia que abandone ‘cultura da morte’

CARTAGENA,POPE FRANCIS
Marko Vombergar | Aleteia | I.Media
Compartilhar
O papa Francisco pediu neste domingo à Colômbia que troque “a cultura da morte” pela “da vida”, ao encerrar sua visita a um país que tenta superar mais de meio século de uma sangrento conflito armado.

“É preciso gerar de baixo uma mudança cultural: responder à cultura da morte, da violência, com a cultura da vida, do encontro”, disse o papa no porto de Cartagena, durante a última das quatro missas que celebrou nesta viagem à Colômbia.

Francisco, que em sua visita defendeu a reconciliação em um país que busca acabar com o último conflito armado das Américas, exortou os colombianos a construir a paz “não com a língua, mas sim com as mãos e as obras”.

“Se a Colômbia quer uma paz estável e duradoura, tem que dar um passo urgente” na direção “do bem comum, da equidade, da justiça, do respeito à natureza humana e a suas exigências”.

Francisco apoiou com firmeza o acordo de paz firmado em novembro entre o governo de Juan Manuel Santos e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que foram a principal guerrilha do continente e agora formam um novo partido político.

“Se trata de um acordo de convivência, de um pacto social e cultural”, destacou o papa em sua última mensagem antes de partir neste domingo de volta ao Vaticano, na qual também defendeu o respeito à natureza, aos direitos humanos e aos menos favorecidos.

O papa recordou que durante esta viagem que o levou a Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena escutou diversos testemunhos de vítimas com “ferimentos terríveis que pode contemplar em seus próprios corpos” e que, apesar disto, “foram ao encontro das pessoas que os feriram”.

Na Colômbia, Francisco insistiu em sua mensagem de paz e reconciliação no momento em que o país está a ponto de encerrar o último conflito armado das Américas, que deixou mais de 7 milhões de vítimas, entre mortos, desaparecidos e deslocados, em mais de meio século.

(AFP)

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.