Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 03 Agosto |
São Martinho, Eremita
home iconAtualidade
line break icon

O PM das crianças necessitadas

Dave Hosford CC

Vanderlei de Lima - publicado em 18/10/17

O importante trabalho do soldado PM Melan, que ajuda crianças necessitadas de parte da zona sul de São Paulo

Conhecemos, em data recente – não pela grande mídia, mas, sim, via internet – o importante trabalho do soldado PM Melan, que ajuda crianças necessitadas de parte da zona sul de São Paulo, área onde atua, em especial por ocasião do Dia da Criança.

Sua história começa na infância. De pequeno, fez parte de um programa da PM chamado de Jovens Contra o Crime (JCC) e nele ganhou seu primeiro brinquedo digno desse nome, o que lhe despertou dois grandes sonhos: ser policial militar e, enquanto PM, ajudar crianças necessitadas onde quer que fosse. Sua filosofia pessoal é a de que a mudança na sociedade começa em cada um de nós, em nossa mente e no nosso coração.

Em 2014, na Escola Superior de Soldados, em Pirituba, com anuência do Comando e o apoio de colegas, protagonizou a primeira Festa para crianças próximas ao Quartel. Sucesso total e boa acolhida da comunidade.

Já soldado, foi designado para atuar na 2ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Metropolitana, na zona Sul. Lá, expôs a ideia, gestada desde a infância, e ela foi aceita pelo Comando local e por parte do efetivo ali atuante. Mais: uma importante aliada apareceu: a Paróquia Nossa Senhora das Graças, próxima ao Quartel, com pleno aval do pároco, iria (como, de fato, o fez) ajudar na organização da festa.

Não obstante uma grave perda na família, tudo foi superado e as festas puderam acontecer a cada ano com a coleta de 3 a 5 mil brinquedos para doação, de modo que nenhuma criança, além de ter o que comer e beber, durante o evento, fica sem levar uma lembrança para a casa.

É certo que a Festa pode despertar certa apreensão geral, pois, há longo tempo, vem se espalhando, de forma revolucionária, a ideia de que a Polícia é inimiga do povo, a “grande opressora”, que, em nome da “elite” ou da “burguesia”, ataca o pobre, o excluído, o marginalizado, o proletário etc.

Há, ao que parece, grupos organizados para bradar aos quatro ventos que a PM mata gratuitamente, embora – em uma estranha contrapartida – nada falem das tantas mortes e de outras barbaridades protagonizadas por criminosos frios e calculistas que, em um país como o Brasil no qual não há – em tempo de paz – a pena de morte, aplicam a morte sem pena a quem bem entendem, inclusive contra policiais.

Como quer que seja, a festa aconteceu, neste ano de 2017, em sua terceira edição, com a presença de outros Batalhões da Polícia Militar. Incluiu serviços especializados como o Primeiro Batalhão de Choque, a Rota, o Segundo de Choque, voltado para Controle de Distúrbios Civis (CDC), que levou para exibição um veículo centurion, além do Corpo Musical da PM, do 4ª Grupamento de Bombeiros e da própria Polícia de área. Tudo isso dá às crianças a possibilidade de ter um contato mais próximo com algo que, a seu modo, representa a lei e a ordem ou convida à prática do bem.

A lição é, sem dúvida, grandiosa e merece ampla divulgação a fim de que apareçam muitos parceiros para a Festa promovida pelo PM Melan e colegas de farda, bem como multiplicadores do evento país afora. Eis a grande razão deste artigo.

Afinal, o evento deveria ter muita repercussão, inclusive na grande mídia, de modo especial naquela televisiva com programas sensacionalistas que ajudam a coproduzir crimes horrendos. Sim, quem tem problemas comportamentais sérios e vê como age um assassino em série ou um maníaco sexual, por exemplo, com grande certeza, tenderá a imitá-lo para maior desgraça da sociedade.

Ora, ninguém, em sã consciência, quer isso. Ao contrário, deseja que existam mais pessoas para ajudar o próximo com boas iniciativas. Portanto, parabéns, soldado PM Melan, continue sua valorosa iniciativa! Que ela desperte muitos bons imitadores e colaboradores, dentro e fora da Polícia, de perto ou de longe, a fim de que tenhamos um Brasil mais humanizado, onde nunca haja “nós” e “eles”, mas, sim, uma só família de filhos(as) de Deus, que se ajudam, porque se amam mutuamente.

Vanderlei de Lima é eremita na Diocese de Amparo.

Tags:
FilhosValores
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
4
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia