Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Apesar de livres de minas, igrejas de Raqa ficarão vazias no Natal

©Yunus Keles / Anadolu Agency

MOSUL, IRAQ - NOVEMBER 4: Iraqi Christians light candles at Al-Tahira Church which was damaged by Daesh terrorists after the Hamdaniya District rescued during the operation to retake Iraq's Mosul from Daesh terrorists, in Mosul, Iraq on November 4, 2016. Yunus Keles / Anadolu Agency

Agências de Notícias - publicado em 24/12/17

“Todos os cristãos fugiram de Raqa. Antes, havia alegria em todas as partes, mas expulsaram a todos nós”

Duas igrejas históricas de Raqa ficaram livres das minas a tempo para o Natal, mas nenhum cristão ficou para as festas neste que foi o principal reduto dos extremistas islâmicos na Síria. Todos fugiram dos combates.

Antes de perder Raqa, em outubro, os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) plantaram minas em toda a cidade, transformada em ruínas pelos bombardeios aéreos da coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Seis sapadores (militares especializados em trabalhos diversos, como a retirada de minas) da organização especializada ROJ concluem a espinhosa tarefa em dois edifícios desfigurados: a Igreja dos Mártires e a da Anunciação. Eles levam detectores consigo e usam uniformes beges e uma braçadeiras vermelhas adornadas com caveiras.

Os dois prédios em ruínas estão livres de minas, mas não haverá missa de Natal, afirmam líderes religiosos. A imensa maioria dos moradores partiu de Raqa, tanto cristãos quanto muçulmanos.

“Como as festas se aproximam, nosso objetivo é permitir aos nossos irmãos cristãos que voltem para praticar seus ritos religiosos”, afirma o assessor técnico da ROJ, Abdelhamid Ayo.

Da igreja armênia católica dos Mártires, no centro da cidade, restou apenas o esqueleto de cimento. Os extremistas derrubaram a cruz no topo e transformaram o templo em uma prisão, após conquistarem a cidade, em 2014. Também cavaram um túnel subterrâneo para se deslocarem.

“Há milhares de minas. Terminamos a metade de Raqa e até agora retiramos 1.300”, reforça Ayo, de 33 anos.

As Forças Democráticas Sírias (FDS), uma coalizão curdo-árabe, apoiada pelos Estados Unidos, expulsaram o EI de Raqa. Mas apenas uns poucos moradores se arriscaram a voltar.

“Não há absolutamente nada previsto em Raqa”, afirma Butros Mariati, da diocese armênia católica de Aleppo (norte), à qual a igreja dos Mártires é subordinada.

“A igreja está em ruínas”, lamenta.

Os milhares de cristãos armênios e sírios que viviam em Raqa representam cerca de 1% da população local, muçulmana sunita em sua grande maioria.

Quando o EI chegou, em 2014, os cristãos e outras minorias religiosas fugiram por medo do terror imposto pelos extremistas, com os quais tinham três opções: se converter, pagar um imposto ou morrer.

Entre os poucos civis que decidiram voltar, um ou vários morrem diariamente na explosão acidental de minas. Uma mensagem nos muros de Raqa adverte: “Perigo! Minas”.

Nayef al Madfaa é um dos poucos que se aventurou. Ele o fez para checar o estado de sua casa, situada atrás da igreja dos Mártires.

“Em Raqa não havia diferença entre muçulmanos e cristãos. Todos vivíamos juntos, felizes”, garante este muçulmano, que suspira apontando para várias casas abandonadas.

“Todos os cristãos fugiram de Raqa. Antes, havia alegria em todas as partes, mas expulsaram a todos nós”, lamenta.

“O pinheiro de Natal era colocado neste canto e as crianças entravam na igreja com seus pais”, lembra o sexagenário. “Quando vejo apenas destruição ao meu redor, fico triste”.

– ‘Partiram’ –

O panorama da igreja da Anunciação, incendiada pelo EI, é igualmente desolador.

Um nicho que antes abrigava uma estátua da virgem Maria agora está vazio. “Deus é maior. Glória a Deus”, escreveram os jihadistas. Os muros semidestruídos estão cobertos de pichações similares.

“O EI transformou a igreja em um armazém de armas. Queimaram livros e bíblias”, lembra Mahmud al Jumaa, de 23 anos.

“Quando os combates se intensificaram, o fizeram explodir, enquanto gritavam ‘Deus é maior que todos os infiéis e valos fazer explodir esta igreja para que (o presidente americano Donald) Trump não possa rezar’” nela, conta, em frente ao prédio em ruínas.

Ele também lembra e época de coexistência pacífica entre cristãos e muçulmanos. “Nós éramos vizinhos da igreja, celebrávamos com nossos irmãos, cristãos, suas festas e eles faziam o mesmo conosco”.

“Agora não há mais cristãos. Todos partiram, e com eles, as celebrações e as bonitas festas de Natal”.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Natal
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia