Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Por favor, ajude-nos a manter este importante serviço. APOIE AGORA
Aleteia

Viver na presença de Deus

Por Amanda Carden/Shutterstock
Compartilhar

Uma reflexão para quem deseja realmente ser santo

Um dos atributos essenciais de Deus é a imensidade: Deus está realmente presente em todas as partes e em todas as coisas, sem que possa existir lugar ou criatura alguma onde não se encontra Deus. É o que nos diz o Salmista: “Para onde irei para longe do teu espírito”? Para onde fugirei da tua presença? Se eu subo ao céu, lá estás, se desço ao abismo, aí te encontro.” (Si 138,7). Ele está presente em todas as partes, porém, não Se deixa ver em todo lugar; somente no Céu. Apenas na Visão Beatífica Ele Se manifesta face a face aos bem-aventurados. (2)

Devemos “entender” esse atributo de Deus, como propriamente nos sugere o nome imenso: que abarca tudo e contém em si todas as coisas. Nenhum ser existe nem poderá existir sem que Deus esteja intimamente presente nele por essência (dando o ser que tem), por presença, (permanecendo sempre ante o seu divino olhar) e por potência (submetido inteiramente ao seu divino poder). Ele é aquele que por si só subsiste e sustenta os demais.

Cabe-nos, porém, tomar cuidado e não nos deixar levar por uma ideia panteísta, vendo uma partícula de Deus em todo o criado; mas sim, estar conscientes de que é Deus que tudo sustenta. Realmente, face a todas as maravilhas da criação, ficamos deslumbrados com tanto amor, perfeição e sabedoria com que tudo foi criado. Muitas vezes, Deus se serve de meios aparentemente sem importância para a salvação do homem. Recordemos um fato narrado em uma pregação do padre Raniero Cantalamessa (3) ocorrido com o soldado Aleksander Zacepa, morto na Segunda Grande Guerra.

Estando ele à noite, dentro da trincheira, em meio ao soar das armas bélicas, preparando-se para o ataque contra os inimigos, deparou-se com um luminoso céu estrelado. Comovido com tamanha grandeza e pulcritude, sentiu em si algo que lhe comovia, fazendo-o refletir sobre aquilo que estava diante de seus olhos. Escreveu, então, uma carta, que foi encontrada em meio ao campo de batalha onde estava este soldado. Estas são as comovedoras palavras do guerreiro:

“Escuta, ó Deus! Em minha vida não falei nem uma só vez contigo, mas hoje tenho vontade de fazer festa. Desde pequeno me disseram sempre que Tu não existes… E eu, como um idiota, acreditei. Nunca contemplei tuas obras, mas esta noite vi, desde a cratera de uma granada, o céu cheio de estrelas e fiquei fascinado por seu resplendor. Nesse instante compreendi que terrível é o engano… Não sei, ó Deus, se me darás tua mão, mas Te digo que Tu me entendes…

Não é algo estranho que, em meio a um espantoso inferno, a luz tenha me aparecido e eu tenha descoberto a Ti? Não tenho nada mais para dizer. Sinto-me feliz, pois Te conheci. À meia-noite temos de atacar, mas não tenho medo, Tu nos vês. Deram o sinal! Tenho que ir. Que bem estava contigo! Quero Te dizer, e Tu o sabes, que a batalha  será dura: talvez esta noite vá bater à tua porta. E se até agora não fui teu amigo, quando eu chegar, Tu me deixarás entrar? Mas, o que acontece comigo? Estou chorando? Meu Deus, olha o que me aconteceu. Só agora comecei a ver com clareza… Meu Deus, vou-me… será difícil regressar. Que estranho, agora a morte não me dá medo.”

Que grande exemplo nos deu este soldado! No último instante de sua vida, recebeu – pela misericórdia de Deus – essa graça de, contemplando as belezas criadas, remetê-las a Quem as criou e, no reflexo de uma granada, conheceu a Deus e a Ele se entregou no último momento da vida.

Passemos para nossa vida particular e reflitamos. Como vivo eu na presença de Deus? De fato, Mons. João Clpa Dias, nos ensina que, a cada momento, devemos estar de tal modo compenetrados na presença de Deus que, desde o despertar, até o momento de deitar-me à noite e até mesmo no instante em que pego no sono, devo me lembrar de que meu sono à noite está sendo assistido por Ele, e que tudo isso está sendo memorizado por Deus.

Desse modo, devo fazer um exame de consciência e analisar minha vida. Quando peco, é porque julgo muitas vezes estar a sós? O demônio leva-me a pecar, a ofender a Deus, porque não vivo constantemente na presença de Deus? Esqueço-me de que Deus é Todo-poderoso e Imenso, estando em todas as partes?

Peçamos à Virgem Santíssima e a nossos santos intercessores, que nos faça sempre sentir a presença de Deus em nossas vidas, compenetrados de que estamos dentro d’Ele, e que Ele vê tudo: nossas intenções, nossos desejos, nossas inspirações e nossos sentimentos.

Reconheçamos a sua presença em todo o universo criado, seja na natureza ou nas almas por Ele criadas e estejamos convencidos, também, de que Ele tudo pode e que, estando em todo lugar, estará sempre disposto a nos ajudar a trilhar o caminho da perfeição.

Por Ir Cíntia Louback, EP
Instituto Teológico São Tomás de Aquino
2º Ano Ciências Religiosas
——————————————————-
1) S. Th. II-II, q 3, a.1
2) INSTITUTO TEOLOGICO SAO TOMAS DE AQUINO, INSTITUTO FILOSOFICO ARISTOTELICO-TOMISTA. Deus quem é Ele? Lumen Sapientiæ. São Paulo: 2012, v.1, p 48.
3) Cantalamessa, Raniero. Pregação por ocasião da solenidade de todos os santos e a comemoração dos fiéis defuntos em 31 de outubro de 2008. Disponível em http://www.zenit.org/pt/articles/pregador-do-papa-todos-os-santos-e-fieis-defuntos

(via Arautos)

Milhões de leitores em todo o mundo – incluindo milhares do Oriente Médio – contam com a Aleteia para se informar, buscar inspiração e conteúdos cristãos. Por favor, considere a possibilidade de ajudar a Edição em Árabe com um pequeno donativo.