Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Atualidade

Brasil cresce 1% em 2017 e deixa para trás dois anos de recessão

WORKER

Moody College of Communication-(CC BY-SA 2.0)

Agências de Notícias - publicado em 04/03/18

A economia brasileira deixou para trás oficialmente uma das piores recessões de sua história, com uma expansão modesta de 1,0% em 2017 em relação a 2016, e buscará consolidar os avanços em um ano marcado por pressões fiscais e eleições presidenciais especialmente conturbadas.

O resultado está alinhado com a média das previsões de analistas consultados pela agência Bloomberg, que estimavam uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,1%.

“A safra recorde representou a principal contribuição para o resultado positivo do PIB no ano”, explicou Rebeca Palis, coordenadora de contas nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou os dados nesta quinta-feira.

A melhoria foi liderada pelo desempenho do setor agropecuário (+13%) e, em menor medida, pelo de serviços (+0,3%). A indústria, por sua vez, se manteve estável.

A economia brasileira vinha de duas retrações em 2015 e 2016, ambas de -3,5%, num ciclo que combinou recessão, inflação alta e crise política.

“Obviamente, a gente ainda não voltou ao patamar exatamente pré-crise do final de 2014. A gente ainda está no patamar do primeiro semestre de 2011”, afirmou Palis.

A recuperação começou no primeiro trimestre de 2017, impulsionada pelo setor agropecuário, mas logo deu sinais no consumo das famílias, que aumentou 1% no ano. Já os gastos governamentais caíram 0,6%.

A expansão no último trimestre do ano passado foi de 0,1% ante os três meses anteriores, na medição ajustada, abaixo dos 0,4% previstos por especialistas. Contudo, “foi o quarto resultado positivo desta comparação”, indicou o relatório.

O IBGE corrigiu para 0,1% o crescimento do terceiro trimestre, contra 0,2% anteriores. Segundo o órgão, o PIB brasileiro totalizou 6,6 trilhões de reais em 2017.

– Bom, mas não tanto –

O presidente Michel Temer comemorou o resultado em sua conta no Twitter “Apanhamos o Brasil com uma recessão forte e hoje estamos com índices muito favoráveis”, disse.

“Com a indicação do PIB, a previsão e que haja praticamente três milhões de novos empregos esse ano”, afirmou à rádio Tupi.

O governo prevê para 2018 uma expansão de 3%, enquanto o mercado antecipa 2,8% e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é menos otimista: estima que a economia brasileira vai crescer entre 2,2% e 2,4%, segundo seu último relatório sobre o país, publicado nesta quarta-feira.

Outro capítulo fraco de 2017 foram os investimentos, que caíram a 15,6% do PIB, ante 16,1% registrados no ano anterior.

Após a queda de 2015 e 2016, o Brasil conseguiu controlar a inflação e iniciou um ciclo de cortes da taxa de juros para reanimar a atividade, o que levou ao nível atual, de 6,75%.

Mas o país ainda luta contra o alto desemprego, que atinge 12,7 milhões de brasileiros, e um déficit fiscal crescente, abalado pelo custo da Previdência.

O governo não conseguiu realizar sua reforma da Previdência Social. A resposta foi rápida: as agências de classificação S&P Global Ratings, em janeiro, e Fitch, neste mês, rebaixaram a nota de risco soberano do Brasil, preocupadas com solvência do país

O Brasil fechou 2017 com déficit de 110,583 bilhões de reais nas contas públicas, o equivalente a 1,69% do PIB. O resultado foi um dos piores da série histórica.

– Eleições –

As turbulências financeiras do setor público e o desemprego persistente formam uma combinação tensa com o ambiente político conturbado. Esse clima antecipa um processo turbulento até as eleições de 7 de outubro.

Os mercados brasileiros dão sinais de otimismo desde a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), no fim de janeiro.

Mas, por ora, ainda não despontou nenhum candidato que levante as bandeiras econômicas que o mercado financeiro almeja.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia