Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Ataque na Síria com armas químicas seria “muito insensato”, adverte EUA

SYRIA AFRIN
Ahmad Shafie BILAL I AFP
Compartilhar

O secretário americano de Defesa, Jim Mattis, afirmou durante uma visita a Omã que qualquer do regime sírio com armas químicas seria “muito insensato”.

“Nós deixamos muito claro que seria muito insensato usar armas químicas contra a população e os civis em qualquer campo de batalha”, afirmou à imprensa durante a viagem ao Golfo.

A advertência de Mattis, que recordou os bombardeios americanos do ano passado na Síria após um ataque com armas químicas, acontece após informações sobre o uso de cloro pelas forças do regime sírio na zona controlada pelos rebeldes perto de Damasco.

“Quero reiterar que seria muito insensato da sua parte utilizar armas equipadas com produtos químicos e acredito que o presidente (Donald) Trump deixou muito claro no início de seu mandato”, completou Mattis.

O secretário de Defesa indicou ter sido informado sobre o uso de cloro e de sintomas que poderiam ter sido provocados pelo cloro, mas afirmou não ter provas determinantes no momento sobre tal uso.

Em abril do ano passado, o presidente Trump ordenou o lançamento de um míssil contra uma base aérea do regime sírio depois que Washington declarou que a instalação havia sido utilizada para executar um ataque mortal com gás sarin contra uma cidade vizinha.

O uso de cloro como arma está proibido pela lei internacional e a Rússia é responsável por supervisionar a destruição do arsenal químico sírio.

O fato do regime do presidente sírio Bashar al-Assad ainda ter armas químicas mostra que “ou a Rússia é incompetente ou coopera com Assad”, disse Mattis.

(AFP)