Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

Escassez de medicamentos nos hospitais venezuelanos é de 88%

AFP PHOTO / Mauro Pimentel
Compartilhar

Os hospitais venezuelanos registram uma escassez de medicamentos da ordem de 88% e uma falta de material médico cirúrgico de 79%, segundo uma pesquisa do parlamento de maioria opositora e uma ONG divulgada nesta segunda-feira.

“Os venezuelanos vão a um hospital e têm de comprar tudo. Há 84% de escassez de cateteres e sondas, que são coisas básicas em qualquer hospital”, denunciou o médico e deputado José Olivares em coletiva de imprensa em que apresentou os resultados da Pesquisa Nacional de Hospitais.

O relatório, realizado durante os dez primeiros dias de março pela Assembleia Nacional e a ONG Médicos pela Saúde também determinou que 94% dos serviços de raio-x não funcionam, assim como 97% dos de tomografia.

“Cem por cento dos laboratórios do país não funcionam de maneira correta por falta de reativos, 79% dos hospitais têm problemas de fornecimento de água e 53% das salas de cirurgião não funcionam”, detalhou Olivares.

Segundo a investigação, 21,9% das salas de emergência estão fora de operação, enquanto que 70,7% têm falhas e funcionam de maneira intermitente. Além disso, 96% das cozinhas hospitalares não têm o que servir aos pacientes.

A pesquisa foi feita em hospitais públicos e 33 privados de 21 estados do país (de um total de 23) e na capital, afirmou o dr. Julio Campos, membro de Médicos pela Saúde.

Olivares pediu que os oficiais da Força Armada “veja a realidade dos hospitais e tenham um sentimento de dever ante a crise”.

Na Venezuela, mergulhada em uma aguda crise econômica, a escassez de medicamentos para doenças de alto custo chega a 95%, enquanto que as básicas, como hipertensão, é de 85%, segundo a Federação Farmacêutica.

(AFP)

Aleteia Top 10
  1. Lidos