Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Outubro |
Santo Angelo de Acri
home iconEspiritualidade
line break icon

Pobreza de espírito? Alguém pode me explicar o que isso significa?

HANDS

Panitanphoto - Shutterstock

Miriam Diez Bosch - publicado em 26/03/18

Para muitos, esta é a chave da vida espiritual

Está no Evangelho de São Mateus: “Bem-aventurados os pobres de espírito, pois deles é o Reino dos Céus”. O papa Francisco insiste que as bem-aventuranças são o “único caminho da verdadeira felicidade e o único meio de reconstrução da sociedade”.

Mas, na realidade, que tipo de pobreza é a “de espírito”?

O padre Jacques Philippe pensa que “o mundo de hoje está doente por causa de seu orgulho e da sua avidez insaciável pela riqueza e pelo poder e não consegue se curar, a não ser acolhendo a mensagem das Bem-aventuranças”.

O padre Philippe prega em todo mundo e sua obra (em espanhol) foi editada por completo pela editora Rialp. Para ele, a “pobreza de espírito”, a “chave da vida espiritual”. Ele ainda explica: “as Bem-aventuranças são uma promessa de felicidade; não se trata de uma felicidade ou uma satisfação simplesmente humana”.

 A pobreza “boa”

Existe a pobreza negativa: miséria material ou moral, vazio interior, que “precisa ser combatida – é o que faz a Igreja. Mas também há uma pobreza que é boa, fonte de vida e de alegria. Trata-se de uma forma de liberdade, da liberdade de receber e dar tudo gratuitamente”.

O biblista explica que a pobreza de espírito pressupõe “uma morte de si mesmo, um desprendimento radical”.

Uma das afirmações mais presentes no Antigo Testamento e nos Salmos é a da ternura de Deus para com o pobre que recorre a Ele. Ser pobre é, em primeiro lugar, “estar em verdade com Deus, reconhecer sua limitação radical de criatura e a sua dependência do amor de Deus. Esta tomada de consciência leva à humildade, ao arrependimento, mas nunca à tristeza e ao desânimo”, declara Philippe.

“Ser pobre de espírito significa aceitar a total dependência da misericórdia de Deus. É não possuir nada, não ser nada para si mesmo, mas receber tudo, com uma consciência muito viva de gratidão absoluta aos dons de Deus.

Na pobreza de coração, é muito importante “não reclamar de nada e não reivindicar nada em troca do bem que realizamos”.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
evangelhoPobreza
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia