Aleteia
Terça-feira 20 Outubro |
São Cornélio
Estilo de vida

O que fazer quando alguém grita comigo?

WOMAN MEGAPHONE

MvanCaspe - Shutterstock

Awebic - publicado em 02/04/18

Esta é a melhor maneira de reagir quando alguém gritar com você

Gritar é uma questão relevante, já que cada pessoa deste planeta já sentiu, pelo menos uma vez na vida, uma raiva tão grande a ponto de levantar sua voz para alguém.

Algumas pessoas gritam sempre, mas todos gritamos em algum momento da vida.

Gritar não é saudável para relacionamentos e essa prática não produz resultados positivos a longo prazo.

Mas existem maneiras inteligentes de reagir a uma situação dessa, de modo que a raiva se dissolva em vez de aumentar.

Uma pessoa pode conseguir alcançar um objetivo gritando, mas uma vez que as coisas voltam ao normal, não há mudanças significativas, porque o grito não muda a mentalidade de ninguém no longo prazo.

Por exemplo, uma mãe que grita para que seus filhos peguem seus brinquedos pode realmente conseguir que eles o façam naquele momento.

No entanto, esse comportamento não vai fazer com que a mentalidade das crianças mude para que sempre peguem os brinquedos.

As crianças não aprenderão a fazê-lo se forem condicionadas a um sistema de recompensa ou punição, mas sim se reconhecerem a importância e o valor de pegar seus brinquedos.

Gritar é prejudicial para relacionamentos. Não é uma maneira construtiva de lidar com uma situação difícil.

Por isso, você deve estar ciente de seus próprios gritos, entender porque algumas pessoas gritam constantemente, e também saber como lidar com um elas.

Quando alguém está constantemente gritando com você, eles estão externalizando sua tirania emocional sobre você.

Seu objetivo é ganhar vantagem na situação e os gritos são seus meios de ganhar controle sobre você.

Como lidar com gritos

É uma forma de intimidação que pode funcionar temporariamente.

No entanto, os resultados a longo prazo não são bons, porque é uma forma de intimidar alguém para fazer com que eles façam o que o se quer.

De fato, gritar não é saudável para os relacionamentos, pois acaba com as comunicações saudáveis ​​e com a proximidade dos relacionamentos.

Por que as pessoas gritam?

Como lidar com gritos

“A raiva é um ácido que pode causar mais danos ao recipiente na qual está armazenada do que a qualquer coisa em que seja derramada.” – Mark Twain

Quando alguém está bravo, há uma variedade de razões que o levam a gritar.

Na maioria das vezes, essas razões não são boas, por isso é importante que o destinatário reaja corretamente, evitando ser reativo.

É importante entender por que alguém está gritando, pois muitas vezes o grito é um indicativo de problemas na psique central dessa pessoa e pode não ter nada a ver com a pessoa que o recebe.

Seu grito é um reflexo da sua instabilidade emocional, mesmo que ele se destine a mostrar força e domínio da situação.

Abaixo estão algumas das razões pelas quais uma pessoa grita quando irritada:

1. Fracas habilidades de enfrentamento

Muitas pessoas gritam porque é seu mecanismo de enfrentamento em situações difíceis.

Mas este mecanismo de enfrentamento não possui bons resultados a longo prazo.

Se uma pessoa aprendeu que só está no topo se estiver gritando, ela precisa de ajuda para encontrar melhores maneiras de regular suas emoções.

Ela pode passar a usar a explosão emocional como forma de lidar com a vida e isso não é saudável nem para ela, nem para quem se torna o destinatário dos gritos.

2. Perda de controle

Uma pessoa pode gritar porque sente uma perda de controle sobre determinada situação.

Ela pode ser dominada pelos pensamentos, sentimentos e emoções e estar sofrendo uma perda de controle sobre todas essas coisas ao mesmo tempo.

É uma confusa bagunça mental, então ela grita para tentar controlar o que está experimentando.

Ela não tem habilidades de enfrentamento adequadas para recuperar o controle sobre a situação, então recorre ao grito para sentir que está no controle.

Apesar de às vezes conseguir essa falsa sensação de controle, ela é temporária, porque a maioria dos problemas não é resolvida através de gritos.

Uma pessoa pode parecer “grata” diante de um ‘gritão’ simplesmente para acalmá-lo, mas, na realidade, nada foi resolvido a longo prazo.

3. Sentir-se ameaçado

Valentões são, muitas vezes, pessoas que têm uma mentalidade emocional muito sensível e estão tentando se proteger o tempo todo.

Sempre que se sentem ameaçados, eles reagem. E gritar é uma ferramenta que eles usam proativamente quando se sentem ameaçadas.

4. Tendências agressivas

Algumas pessoas são simplesmente indivíduos agressivos. Eles podem gritar e a agressão pode aumentar para o plano físico.

Você raramente vê uma luta física que não começa com vozes alteradas e gritos.

Se alguém que você não conhece está gritando com você, é bom estar “em guarda”, pois gritos podem levar a um confronto físico.

É importante evitar reagir de forma agressiva nessas situações, porque é como derramar combustível no fogo de sua raiva e as coisas podem se tornar ainda piores.

Se você alimentar a agressividade, é provável que a gritaria se torne agressão física.

5. Comportamento aprendido

Algumas pessoas tornam-se ‘gritões’ porque cresceram em uma casa onde seus pais gritavam regularmente.

Elas aprenderam que, quando surgirem conflitos, é preciso aumentar o tom de voz.

Elas não aprenderam comportamentos adequados de enfrentamento quando estão diante de conflitos e situações difíceis.

Gritar sempre foi sua reação para qualquer situação de turbulência.

6. Sentir-se negligenciado

Algumas pessoas levantam suas vozes e gritam de raiva porque sentem que a outra pessoa não as escuta.

Elas repetiram sua mensagem várias vezes até que, finalmente, recorrem a gritos de raiva porque a outra pessoa não respondeu ao seu tom de voz original.

Este é frequentemente o caso de gritar em que a maioria dos pais grita.

Os pais sentem que seus filhos não estão ouvindo, então em vez de continuarem repetindo, eles gritam com seus filhos.

O problema é que isso realmente afeta as crianças.

Pesquisas mostram que gritos podem ser tão prejudiciais quanto o abuso físico.

Reações a evitar com um ‘gritão’

Como lidar com gritos

A pior reação possível é refletir seu comportamento.

As coisas não vão melhorar se você gritar com alguém que está gritando com você. Pelo contrário: só piora.

Existem outras reações que podem dificultar a situação que também devem ser evitadas, como encorajar quem está gritando, desafiar o que eles estão dizendo, agir defensivamente, e criticar a pessoa durante o confronto.

Existem melhores maneiras de lidar com um ‘gritão’.

Abaixo estão as dicas que você pode usar para lidar e, espero, diminuir a tensão.

1. Fique calmo e não alimente sua raiva

Lembre-se de que quando uma pessoa está gritando, não é você que tem o problema, é ela.

Como essas pessoas têm poucas habilidades de enfrentamento, seu motivo para gritar provavelmente não tem nada a ver com você pessoalmente.

Se você reagir, eles reagirão à sua reação e as coisas vão piorar.

Mantenha a calma, mesmo se você estiver fervendo por dentro.

Não vale a pena alimentar seus gritos, já que a situação acabará por piorar e as coisas raramente serão resolvidas quando duas partes estão gritando uma com a outra.

É muito mais provável que os problemas sejam resolvidos quando tons de calma estão sendo usados.

Seja parte da solução e não do problema, mantendo a calma e usando um tom de voz calmo.

2. Dê uma ‘pausa mental’ para avaliar a situação

Antes de tomar qualquer atitude na situação, pause mentalmente para avaliar as coisas.

Isso permitirá que você descubra se vale a pena aguardar o ‘gritão’ ou abandonar a situação.

Se você conhece quem está gritando com você e sabe que não irá ofendê-lo caso se afaste, então vá embora.

Você não precisa se submeter aos abusos de alguém se não forem relevantes para sua vida.

Se é o seu chefe que está gritando com você e você sabe que se ir embora pode lhe custar seu emprego, talvez você precise pensar e esperar para resolver o problema mais tarde.

Principalmente se for uma ocorrência constante que perturbe sua capacidade de trabalhar efetivamente.

3. Não concorde com o gritão para acalmá-lo, pois isso o encoraja a gritar de novo no futuro

Se você concorda com a pessoa que está gritando apenas para acalmá-la, você está apenas tolerando seus gritos.

Ao ser agradável com alguém que está gritando com você, você apenas a incentiva a gritar novamente no futuro.

Evite este tipo de método, ou você se encontrará sujeito(a) à gritaria com mais frequência.

4. Responda calmamente ao grito

Na maioria dos casos, quando alguém está gritando com você, suas emoções são evocadas e você sente a necessidade de reagir.

Reagir com gritos, críticas ou outras respostas negativas vai piorar a situação; você precisa fazer tudo o que estiver ao seu alcance para reverter seus pensamentos e sentimentos para que possa resolver o problema real.

O que não vai acontecer se você responder gritando.

Deixe a pessoa saber que você não aceitará esse comportamento, independentemente da situação ou problema.

Diga isso educadamente e com calma, e é mais provável que você tenha uma reação positiva, como um pedido de desculpas ou, pelo menos, com a conscientização de que eles estão, de fato, gritando.

Algumas pessoas nem percebem que estão gritando. Então, o próximo passo é pedir uma pausa para essas pessoas.

5. Peça uma pausa para esta pessoa

Depois de ter calmamente controlado os gritos, o próximo passo é pedir uma pausa para poder pensar.

Você também pode precisar desse tempo para se acalmar, pois os gritos levam sua adrenalina ao céu e você não sabe quanto tempo pode segurar tudo isso dentro de si.

Quando você pedir uma pausa, deve ser mais uma declaração do que uma pergunta, especialmente se não é o seu chefe.

Se é um cônjuge, amigo ou outra pessoa, é completamente aceitável afirmar que você precisa de um tempo (alguns minutos, um dia ou o que você precisar) para refletir e responder de forma adequada e com calma.

6. Quando as emoções se acalmaram, e você sabe como resolver o problema, volte a conversar

Dê tempo para processar a situação, o que foi dito e como você deseja responder.

Para algumas situações, por exemplo, num casamento, isso pode demorar alguns dias, pois as emoções podem levar mais tempo para se tranquilizarem.

Se é um chefe e você sabe que não pode refletir sobre o assunto por muito tempo, porque há prazos ou o seu emprego em jogo, use algumas técnicas calmantes, como a respiração profunda ou métodos de visualização para processar a situação mais rapidamente.

Continue o assunto sob condições tranquilas

Como lidar com gritos

Se você pediu um tempo para que a pessoa saiba que o grito não é aceitável, a probabilidade de ela gritar com você agora é bem menor.

Por isso, se ela quiser continuar o assunto, vai precisar manter a calma para discuti-lo com você.

Você não só está se impondo, mostrando a essa pessoa que não será abusado emocionalmente, mas também está ajudando a ver que seu comportamento não é aceitável.

Se todo mundo fizesse isso, todos seríamos mais condicionados a evitar gritar como primeira opção.

Se o grito é um hábito que não foi alterado apesar das suas reações maduras, talvez seja hora de puxar uma cadeira e conversar sobre isso.

Deixe a pessoa saber como o grito te afeta. Por exemplo, você se sente profundamente triste depois de um episódio de gritos e não quer estar por perto por um tempo.

Mostre também como isso afeta seu relacionamento. Contando, por exemplo, que isso cria um abismo emocional entre vocês.

Se a pessoa responder com “é assim que eu sou”, diga que ser assim não é aceitável.

Algumas pessoas também não sabem como mudar seu comportamento. A ajuda profissional (como terapia, aconselhamento ou aulas de controle de raiva) está disponível para pessoas que têm problemas com gritos.

Elas precisam reconhecer que o problema está afetando sua relação e que mudanças são necessárias para curar o relacionamento.

Gritar causa danos, por isso não permita que os gritos continuem a prejudicar você ou seu relacionamento.

Estas dicas te ajudaram? Comente!

(Via Awebic. Esse é uma tradução do Awebic de artigo originalmente publicado em Life Hack, escrito por Dra. Magdalena BattlesImagens: pexels.com e pixabay.com)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
EducaçãoRelacionamento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Ellen Mady
Para Jesus não existe novena melhor do que es...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
ícone São Lucas Nossa Senhora Jesus médico
Reportagem local
Oração a São Lucas, evangelista e médico, pel...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
JENNIFER CHRISTIE
Jennifer Christie
Fui estuprada numa viagem a trabalho - e meu ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia