Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 04 Março |
São Casimiro
home iconPara Ela
line break icon

O que eu gostaria que alguém tivesse me dito no primeiro Dia das Mães após eu perder meu filho

SAD WOMAN

Pixabay | Pexels

Chloe Langr - publicado em 11/05/18

Aqui estão 4 coisas para lembrar no Dia das Mães se você sofreu aborto espontâneo ou sofre com a infertilidade

No ano passado, celebrei pela primeira vez o meu Dia das Mães. Mas um dia que deveria ser cheio de alegria e celebração acabou sendo incrivelmente desafiador. Meu marido, Joseph, e eu havíamos acabado de perder nosso filho, Marion, em um aborto espontâneo, apenas três meses antes. No final da missa, nosso pároco fez uma pausa após a bênção final e pediu a todas as mães que apresentassem para uma bênção.

Eu sabia que precisava dessa bênção. Depois de perder Marion em Março, eu sabia que Maio estava chegando, trazendo o Dia das Mães. E mesmo que eu me levantasse ali na igreja, me sentiria como uma concha vazia. Lembro-me do sangue correndo para o meu rosto, meus olhos cheios de lágrimas, minhas mãos fechadas e úmidas. Mas eu me levantei. Porque eu era mãe – mesmo que nosso filho estivesse no céu. Depois da bênção das mães, sentei, tremendo.

Mesmo sendo eu (e ainda sou) mãe, senti-me um fracasso. Meu coração, mente e alma ansiavam pelo bebezinho que crescia dentro de mim, mas achei que meu corpo falhara na maternidade. Como mãe naquele dia, senti-me tão sozinha. Parecia que todas as mães ao meu redor tinham filhos em seus braços ou se reuniam no banco ao lado deles. Avós orgulhosas estavam cercadas por filhos e netos. Eu estava de pé trêmula no meu banco, imaginando como eu poderia até cuidar de um pequeno santo que já estava com Deus.

Eu me senti feia; lágrimas correram pelo meu rosto. Eu me senti desarrumada. Eu me senti esquecida. Eu pensei que apenas Joseph, que estava sentado ao meu lado, sabia o que estava acontecendo no meu coração naquele dia. Todos os outros pareciam tão envolvidos em sua própria alegria que não notaram minhas lágrimas.

O Dia das Mães pode ser difícil por muitas razões. Talvez você, como eu, tenha pequeninos no céu. Talvez você também carregue a cruz da infertilidade e se pergunte se alguma vez terá a alegria de segurar uma criança em seus braços. Eu gostaria de poder envolver meus braços em volta de você e te dar um abraço. Mas aqui está o que eu quero que você saiba – e o que eu gostaria que alguém tivesse me dito naquele primeiro Dia das Mães depois de perder nosso filho:

Você não é um fracasso

O aborto espontâneo e a infertilidade podem fazer com que você se sinta envergonhada e inadequada. Você pergunta se sua história é demais para os outros ouvirem. Você se pergunta se sua história não é suficiente para que os outros se importem. Mas você não é um fracasso. Sua infertilidade não é sua culpa. Muitas vezes, artigos de revistas, fóruns on-line e amigos bem intencionados te encorajam a tomar aquela vitamina, ou fazer aquele exercício, ou nunca comer aquilo. Mas a infertilidade não é algo que escolhemos e não é algo que possamos controlar.

Não deixe o diabo plantar suas mentiras ao redor do seu coração. “Não há, pois, razão para sentirem que são fracassos”, escreve São Josemaría Escrivá, quando lhe perguntaram sobre os casais que carregam a cruz da infertilidade. “Se o casal tiver vida interior, eles compreenderão que Deus os está instigando a fazer de suas vidas um serviço cristão generoso, um apostolado diferente daquele que teriam realizado com seus filhos, mas igualmente maravilhoso”.

Você não está sozinha

Infertilidade e aborto espontâneo podem ser algo incrivelmente isolador e solitário. Porque ambos raramente são discutidos, você pode ficar com a sensação de que é a única. Se você está olhando o Instagram, fazendo compras na mercearia ou se ajoelhando depois da comunhão, parece que todas as mulheres estão grávidas. A mulher que se casou no mesmo verão que você já teve três filhos. A amiga que disse que não queria filhos tem um bebê nos braços.

Oh irmã, você não está sozinha. Estudos mostraram que 1 em cada 6 casais experimentará infertilidade. Isso não significa que 1 em cada 6 mulheres nunca ficarão grávidas, mas significa que muitas de nós sabem exatamente como é essa dor em seu coração, se esta também é sua cruz para carregar. Estudos também mostram que de 10 a 25% das gestações terminam em um aborto espontâneo. Muitas de nós são mães para crianças que não podemos ver.

Você é uma mulher bonita

Quando sua história como mulher inclui infertilidade, ou a perda de uma criança, você pode ficar questionando sua feminilidade. Afinal, somos informados de que os corpos das mulheres são destinados a trazer nova vida ao mundo. Se você está carregando a cruz da infertilidade, ou lamentando a perda de uma criança, pode sentir que tudo o que faz de você uma mulher foi arrancado de você.

Há tantos equívocos sobre o que realmente significa viver o “talento feminino” como uma mulher católica. Não existe uma maneira perfeita, correta de viver a sua feminilidade. “Às vezes cometemos o erro de idolatrar certas coisas – coisas boas! E então tratamos essas coisas boas como se fossem as ÚNICAS coisas que uma mulher católica pode fazer”, escreve Haley Stewart, da Carrots for Michaelmas. Sua feminilidade não é definida pelo tamanho da sua família. Ou se você pode abrigar a vida em seu ventre. Ou se você é mãe para pequenos aqui na terra, ou santos no céu. Deus criou você uma mulher. Ele vê você e diz que você é boa. Você é linda.

Você é amada e lembrada

No dia em que honramos as mães, quero parar e me lembrar de você. Eu sei os dias em que você se sentiu como Ana, clamando no templo, oferecendo a Deus qualquer coisa em troca de um filho. Sabemos como é se sentir como Agar, exilada ou forçada a fugir de situações por causa do luto. Todas nós já fomos Raquel, conhecendo o sofrimento e a dor quando nos dizem que o batimento cardíaco do seu bebê não pode ser encontrado no ultrassom.

Hoje, talvez você esteja carregando a pesada cruz da infertilidade. Você ainda não é mãe, mesmo que tenha certeza de que já estaria segurando um pequenino. Você está envolta em oração hoje. Talvez sua cruz pareça diferente e você tenha perdido uma criança devido a aborto espontâneo ou perda infantil. Você é amada. Você é digna. Você é boa. Do jeito que você é.

Tags:
FilhosLutoMaternidadeMorteMulher
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MIRACLE
Maria Paola Daud
Mateo se perdeu no mar… e apareceu nos braços do pai
2
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
3
MADONNA
Maria Paola Daud
A curiosa imagem da Virgem Maria protetora contra o coronavírus
4
missionárias mártires iêmen
Reportagem local
A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas p...
5
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
6
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da missa
7
A Fé Explicada
Quais são os erros litúrgicos mais comuns na missa?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia