Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Hiperinflação da Venezuela foi de 24.571% em um ano, diz Parlamento

VENEZUELA
Compartilhar

A hiperinflação na Venezuela foi de 24.571% nos últimos 12 meses e de 1.995,2% entre janeiro e maio deste ano, informou nesta segunda-feira (11) o Parlamento venezuelano, de maioria opositora.

A “taxa de inflação anualizada de maio de 2018 em relação a maio de 2017 (é de) 24.571%”, aponta o estudo divulgado por deputados da Comissão de Finanças. As últimas cifras econômicas divulgadas pelo governo são de 2015.

De acordo com o relatório, o índice de preços em maio passado aumentou 110,1%, sendo a primeira vez que supera a barreira de 100% em um mês, segundo o Legislativo. Em abril, a inflação foi de 80,1%.

“Estas cifras demonstram que não há retificação para frear a hiperinflação e que enquanto eles procuram se manter no poder, arruínam a vida dos venezuelanos”, afirmou em coletiva de imprensa o deputado Rafael Guzmán, presidente da comissão de Finanças.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a hiperinflação superará 13.800% neste ano, enquanto os parlamentares estimaram que poderia ser pelo menos de 100.000% e alcançar até 300.000%.

Analistas atribuem a alta do custo de vida à escassez de divisas – monopolizadas pelo Estado – devido à queda da receita petroleira desde 2014 e à redução da produção, além do elevado gasto público com emissão de moedas sem respaldo.

O governo de Maduro atribui a inflação a uma “guerra econômica” promovida pelos Estados Unidos, a oposição e comerciantes locais, que especulariam com os preços.

(AFP)