Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Romaria do Divino Pai Eterno atrai 3 milhões de devotos

Rodolfo Carvalhaes - Divulgação
Compartilhar

Público recorde passou por Trindade (GO) durante os dez dias de programação religiosa e cultural

Terminou neste domingo (1/7) na cidade de Trindade (GO), a Romaria do Divino Pai Eterno, que contou com público recorde nesta edição – 3 milhões de devotos. Tradição iniciada no final do século XIX, ainda mantém fortes raízes com as origens da devoção e atrai pessoas de todo o Brasil para os dez dias de festa, iniciada em 22 de junho. São fieis que traçam, na cidade, um roteiro de fé e espiritualidade.

As cenas de devoção emocionam. Agradecendo bênçãos alcançadas ou pedindo por saúde, os fieis sobem de joelhos as escadarias do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, chegam em carros de boi, ou a cavalo ou em mulas, e milhares que percorrem a pé o trajeto de 18 quilômetros da Rodovia dos Romeiros (GO-060), que separa Goiânia de Trindade – a primeira, capital do Estado; a segunda capital da Fé. São, ainda, mais de 10 mil caravanas que chegam de todas as regiões. Números que impressionam e confirmam a Festa do Pai Eterno como a segunda maior festa religiosa do Brasil.

Desde quinta-feira, por causa do grande fluxo de fieis, as solenidades são realizadas em espaço aberto – que comporta maior quantidade de pessoas. Foram esses os devotos que também encheram o espaço em que o cardeal Dom Odilo Scherer realizou a Missa Solene neste domingo (1/7). Provincial da Congregação do Santíssimo Redentor em Goiás, Padre Robson de Oliveira disse que a presença de Dom Odilo engrandece a Romaria do Divino Pai Eterno e “confirma o trabalho realizado de evangelização para todo o Brasil”. Na tarde de hoje, milhares de fieis acompanharam a Procissão Luminosa e Celebração de Encerramento, um dos marcos do fim da festa. “O mais importante é que fique a mensagem que as pessoas sigam com uma vida em coerência com a devoção que praticam, […] uma vida de paz, uma vida de honestidade, uma vida correta”, afirmou Padre Robson.

Itinerários

Consta no roteiro de romeiros que passam por Trindade uma visita à Vila São Cottolengo, instituição filantrópica que cuida, em tempo integral, de crianças e adultos com diversos tipos de deficiência. Fundada em 1951, a Vila cresceu também por causa do empenho dos missionários redentoristas e, atualmente, tem trabalho de excelência reconhecido nacionalmente. Na Vila, devotos entregam suas doações, assistem a apresentações de música e dança dos internos, e aproveitam para conversar com eles, numa troca de experiências. “Acredito que o marco do trabalho social em torno da devoção ao Pai Eterno está solidificado na Vila, nas suas atividades e objetivos. Por várias vezes me emocionei com a força das pessoas que vivem na Vila, afirmou Ígor Lopes, jornalista correspondente internacional da imprensa portuguesa.

Na outra ponta da cidade, a Igreja do Santíssimo Redentor, também conhecida por Igreja do Padre Pelágio, recebe fieis em devoção ou que buscam conhecer melhor a história do padre alemão, que está em processo de beatificação – hoje é considerado venerável. Pelágio viveu boa parte dos seus 83 anos em Goiás e é conhecido pelo trabalho de atenção à população carente. O estudante de Direito, de Goiânia, Gabriel Portugal, 21 anos, não esconde sua grande devoção ao missionário redentorista. “A história dele é admirável. Torço bastante, inclusive, pela canonização”, conta.

Atração à parte, o desfile de mais de 350 carros de boi também atrai atenção de mais de 100 mil visitantes todos os anos, que acompanharam a procissão desde a Igreja Matriz até o carreiródromo. Desde o ano passado, a Romaria dos Carros de Boi é considerada patrimônio cultural imaterial pelo Iphan, por sua relevância histórica e importância para a preservação das tradições rurais. A prática é passada de geração em geração dentro das famílias. Domador de gado em Jaraguá (GO), Irom Caiado, de 45 anos, afirma que nasceu no meio dos carros de boi e aprendeu com os pais o que sabe: “Me sinto um menino de dez anos quando chego em Trindade para o desfile”.

Entrando aos poucos no roteiro de visitação, a cada ano, a capela do Novo Santuário passa a receber mais devotos que acompanham de perto o andamento das obras. O fortalecimento da devoção e do turismo religioso, observado através dos números expressivos desta edição da Romaria, coloca foco na necessidade de acolher melhor os milhões de romeiros. Paulo Bueno, 47 anos, veio de Brasília (DF) e fez questão de visitar a obra com a família. “Se Deus quiser terei saúde para vir aqui quando estiver pronta. Que Ele me proteja até lá”, disse.