Aleteia

5 coisas que predizem o divórcio

Shutterstock
Compartilhar

Todos nós temos o poder de ter consciência e evitar antes que seja tarde demais

O casamento é a espinha dorsal da sociedade, por isso a ciência coloca tanto esforço e faz tantas pesquisas para descobrir por que a taxa de divórcio é tão alta e o que podemos fazer sobre isso.

As fontes em relação à taxa oficial nos EUA variam – alguns dizem que é mais de 50%, outros dizem que é um pouco menos –, mas podemos concordar que qualquer coisa em torno dessa marca intermediária é alarmante e precisa ser discutida o máximo possível.

Assim, o Dr. Justin Lehmiller recentemente fez um levantamento de 5 coisas que predizem o divórcio em seu blog.

Lehmiller, diretor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da Ball State University e afiliado do corpo docente do Instituto Kinsey, mostra dados poderosos e interessantes que exigem muita introspecção e pensamento, tanto no plano pessoal quanto em termos sociológicos mais amplos.

Veja as 5 coisas que, segundo Lehmiller, predizem o divórcio.

  1. Se casar ou morar junto quando você é muito jovem

Certamente, você conhece muitos casais felizes com muitos filhos que começaram bem jovens, então isso pode parecer contrário à sua experiência pessoal. Mas esses casais provavelmente tiveram orientação espiritual e psicológica para se preparar para o compromisso (sacramental) do matrimônio.

  1. Infidelidade

Não se trata apenas de sexo, é de confiança. É difícil consertar esses vínculos uma vez que eles estão quebrados, mas também não é impossível se os casais rezam pelos dons da perseverança, da paciência e do perdão – e buscam ajuda psicológica.

  1. Contexto religioso e nível educacional

Identificar com uma religião organizada e ter um diploma universitário parece aumentar as chances de que seu casamento durará. Mesmo o melhor dos casamentos prospera e cresce mais forte com a graça de Deus.

  1. Raça e etnia

Lehmiller diz que as mulheres afro-americanas parecem ter chances muito maiores de divorciar-se antecipadamente do que as mulheres asiáticas americanas. Esta é uma área que merece uma pesquisa mais aprofundada.

  1. Instabilidade emocional

A pesquisa mostrou que se seus pais biológicos se divorciaram, isso aumenta as chances de que você também se divorcie. Modelar um relacionamento saudável para seus filhos certamente entra em jogo aqui, mas a ciência aponta mais para certos traços de personalidade e qualidades impulsivas que tendem a ser transmitidas através dos genes.

Há pesquisas adicionais sendo feitas para explorar se algumas pessoas estão geneticamente predispostas a se divorciar devido a características como instabilidade emocional e impulsividade – mas, mesmo que seja esse o caso, o autoconhecimento, a terapia e a intervenção precoce em um relacionamento problemático podem ajudar a evitar que o casamento de uma pessoa se torne outra estatística.

Boletim
Receba Aleteia todo dia