Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Mude sempre para a melhor versão de si mesmo

KOBIETA PRZEGLĄDA SIĘ W SZYBIE
Shutterstock
Compartilhar

Quanto mais real, natural e consciente de si mesmo você for, mais autenticidade transmitirá

Mudar para agradar, querer que alguém mude para se encaixar! Que chato esse negócio de encaixe perfeito para cumprir as expectativas alheias. Na verdade, nós nunca saberemos ao certo o que estamos imprimindo aos olhos do outro, até porque isso é bastante subjetivo.

Uma das formas de se aproximar do que estamos causando e do que pode ser melhorado em nós é o diálogo, a ferramenta do esclarecimento humano! Enquanto isso, vamos andando e nos equilibrando na corda do que somos e do que os outros querem de nós.

Nem sempre aquilo que vejo e quero condiz com a realidade da sua natureza. ”Não vemos as coisas como são, mas como nós somos”. Pegadinhas ilusórias que vão desmascarando não somente a nós, mas também a quem nos relacionamos.

Por isso as relações humanas são tão importante para o nosso aperfeiçoamento pessoal. Isso mesmo, aperfeiçoamento e não perfeição, já que esta palavra está fora de cogitação nesta vivência tridimensional.

Não dá pra ser perfeito! Pelo menos por enquanto! Querer ser perfeito causa fadiga, estresse, pressão e é bem frustrante no fim das contas. Assim como não somos, o outro também não é, por isso a vida nos traz o movimento de melhoria.

Nesse negócio de perfeição, também corremos o grande risco de criarmos alguém à imagem e semelhança dos nossos anseios e desejos pessoais! Visualizamos o que queremos e não o ser de fato.

É possível perceber as possíveis falhas dessa programação mental, mas no fim, as mágoas serão inevitáveis quando se percebe que este ser não é nada daquilo que se havia criado.

E então, o desconhecido se apresenta. E você, nesse momento deve escolher se deseja se apresentar novamente ou desistir desta nova e real versão desta consciência.

Mas o objetivo maior disso tudo é buscarmos caminhos de nos trabalhar e assim encontrar a melhor versão de nós. Aparar umas arestas, corrigir uns erros, acertar alguns enganos, melhorar os comportamentos , assimilar as sombras e buscar clarear o que pode ser clareado para o refinamento do ser.

Este é o barato da vida, o caminho da perfeição por meio das relações humanas e nosso refinamento pessoal.

Exigir do outro perfeição é na verdade uma cobrança interna. O que você busca no outro na verdade é algo que precisa ser buscado em você . As relações serão sempre o espelhamento perfeito para as nossas imperfeições.

Cada um sabe o que precisa melhorar em si, e se não há o movimento autônomo, a vida, sábia e perfeita , envia algumas dores para este despertar interno.

Ah, as dores… nada como elas para tirar qualquer ser humano da zona de conforto.

As dores sacodem e fazem o ser humano buscar a própria cura. O melhor em si.

Mudar é bom! Aperfeiçoar-se é melhor ainda! Mude, mude sempre para a melhor versão de você e lembre-se que para isso não é necessário vestir máscaras para agradar.

Quanto mais real, natural e consciente de si mesmo você for, mais atraente será a sua pessoa, mais autenticidade transmitirá e menos energia você vai gastar para ser feliz!

(via Pazes)