Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A única palavra que leva a relacionamentos mais íntimos

Shutterstock
Compartilhar

Não tenha medo de mostrar o seu compromisso com amigos e entes queridos usando o “sim” mais frequentemente

Quando sou convidada para um evento no Facebook, eu tenho algumas opções de resposta. Eu posso dizer “comparecerei”, “não comparecerei” ou “não sei”. Então, quando estou tentando planejar um mês de eventos, pode ser fácil usar um “não sei” ao invés de “comparecerei” – afinal, é mais conveniente manter nossas opções abertas.

Mas quando evito me comprometer, estou comprando a cultura do não compromisso de hoje.

Além de ser difícil para os convidados dizer “sim”, a cultura do não compromisso torna incrivelmente difícil para os anfitriões planejar um evento. Como você cozinha para um evento onde 10 pessoas podem ou não aparecer? Quando eu convido pessoas para um jantar no nosso restaurante favorito, quantas pessoas eu digo que estarão comigo? Os quatro amigos que disseram “sim” ou os seis que disseram “talvez”?

Mas, em um nível ainda mais profundo, o medo do compromisso também encoraja a falta de intencionalidade em nossos relacionamentos face a face. Porque nos acostumamos a ser não comprometidos, nossa atitude “talvez” pode afetar a maneira como respondemos aos pedidos de amigos e entes queridos, tanto online como em nossa vida cotidiana, também.

Então, como transformamos a maré contra o não compromisso e começamos a prosseguir relacionamentos intencionais com amigos e familiares? O Dr. Clifford Lazarus, psicólogo clínico do Lazarus Institute, descobriu que uma palavra simples pode fazer uma grande diferença no nível de intimidade em seu relacionamento.

“Uma das melhores maneiras de promover a proximidade e os sentimentos positivos em relacionamentos íntimos é usando uma palavra simples tanto quanto possível, a palavra ‘sim’”, escreve o Dr. Lazarus.

“Para mim é incrível quantas pessoas não têm sua configuração padrão em ‘sim’ quando solicitado a fazer algo por seus entes queridos. Em vez disso, elas costumam se proteger dizendo ‘talvez’, ‘veremos’, ‘não tenho certeza’, ou alguma outra resposta sem comprometimento”.

Aqui estão três dicas do Dr. Lazarus sobre como incorporar um “sim” em seus relacionamentos:

  1. A menos que haja uma boa razão para não responder, responda com um “sim” definitivo

Responder a um pedido com “talvez” ou “veremos” coloca um valor no pedido do seu ente querido. Isso diz que o pedido dele não é importante o suficiente para agendar ou disponibilizar seu tempo. Se alguém é importante para você, disponibilize seu tempo aos pedidos deles – diga-lhes “sim”.

“Quando um ente querido te pede que conceda um favor ou concorde com um simples pedido, a menos que você tenha uma razão muito boa para dizer ‘não’, a única resposta sensata é dizer ‘sim’, ‘claro’, ‘não há problema’, ou alguma outra afirmativa”, diz o Dr. Lazarus.

Quando você responde a um pedido com “talvez” isso sugere que, se surgir algo melhor, você não estará lá.

  1. Não interessado? Ofereça uma alternativa

Algumas semanas atrás, um teatro local estava fazendo uma produção de Hamlet no parque. Eu amo Shakespeare, mas não era o que meu marido queria. Ao invés de dizer “não”, ele ofereceu uma alternativa.

O Dr. Lazarus diz que esse tipo de resposta é mais uma afirmação de um relacionamento. “Se o seu ente querido sugere uma atividade que você não gosta de fazer, em vez de simplesmente dizer ‘não’, sugira uma alternativa para que vocês dois possam desfrutar”.

Então, se o seu amigo te convida para um filme e você não está interessado em ver, em vez de recusar, sugira outro filme que vocês dois gostariam de assistir.

  1. Não é um bom momento? Planeje um momento para abordar a questão novamente mais tarde

Houve muitas vezes em meu casamento onde algo que eu queria discutir com Joseph aparecia à noite, antes de irmos dormir. E eu sei que a hora de dormir não é um bom momento para ter longas conversas. Mas, ao invés de ignorar a conversa, pergunto se podemos “colocar um marcador nisso” e voltar para a conversa em breve, quando ambos tivermos mais tempo (e não estivermos com sono).

“Se o seu ente querido pede para conversar com você, ou que você faça algo quando não é o melhor momento para você, em vez de simplesmente dizer ‘Podemos discutir mais tarde’, ou ‘Eu vou fazer isso outra hora’, especifique exatamente quando você estará disponível para conversar ou pretende fazer a tarefa solicitada”, sugere o Dr. Lazarus.

O mesmo vale para um pedido desagradável de um ente querido. Se você estiver ocupado com alguma coisa e sua esposa pedir para você pendurar a roupa, dizer “não” provavelmente não soará bem. Mas, responder com “assim que eu terminar com isso, eu te ajudo”, mostra que você vai dizer “sim” assim que estiver disponível.

Dizer “sim” e ser intencional em nossas respostas com nossos entes queridos é uma maneira simples, mas excelente, de encorajar a intimidade e a boa comunicação. Vamos nos comprometer a sermos mais responsáveis ​​e intencionais com nossos relacionamentos.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.