Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Solidariedade: por que precisamos e como obtê-la

HANDSHAKE
Compartilhar

É vital que encontremos um terreno comum e nos apoiemos mutuamente em nossas necessidades

A solidariedade é um valor importante para qualquer sociedade, assim como para toda a comunidade global. Essa ideia de comunidade – essencial na tradição cristã – significa encontrar uma área de unidade em meio à diversidade que caracteriza as sociedades humanas e o reconhecimento de um conjunto de valores comuns e universais que nos caracterizam como seres humanos com dignidade.

Para que isso se torne realidade, é necessário estabelecer um consenso sobre os valores fundamentais, trabalhar para ampliar os princípios de paz, equidade e bem-estar, e estabelecer um princípio básico de reconhecimento mútuo e reciprocidade.

Solidariedade como valor

A solidariedade é um valor por excelência, caracterizado pela colaboração mútua entre indivíduos, que permite superar os mais terríveis desastres, como guerras, pragas, doenças etc. Isso se aplica também a ajudar parentes, amigos e conhecidos que se encontram em situações difíceis, para que possam superar obstáculos e seguir em frente.

A solidariedade nos permite superar as adversidades que se apresentam ao longo da vida. Uma pessoa que pratica a solidariedade não hesita em colaborar e apoiar todos aqueles que estão em situações desfavorecidas, em contraste com pessoas que são indiferentes às necessidades dos outros e mais autocentradas.

Devemos encorajar uma atitude de solidariedade nos jovens, uma vez que a solidariedade pode ser vista como a base de muitos outros valores humanos. De maneira especial, ajuda a desenvolver amizades valiosas em ambientes familiares e sociais, com base em virtudes como gentileza, apoio, respeito e tolerância.

Solidariedade e sociologia

Na perspectiva da sociologia, a solidariedade pode ser descrita como a adesão de cada um dos membros de uma comunidade humana aos mesmos valores. Segundo o sociólogo francês Émile Durkheim, a solidariedade pode ser vista de três maneiras:

  • A solidariedade comunitária é um sentimento de unidade baseado em interesses ou objetivos comuns, compartilhado por muitos indivíduos, que os faz pertencer ao mesmo grupo social, trabalhar juntos para alcançar os mesmos objetivos ou lutar juntos pela mesma causa.
  • A solidariedade orgânica, vista em uma empresa, é a interdependência que existe entre os vários indivíduos devido à forte especialização de cada um deles e à divisão do trabalho técnico em diferentes funções.
  • Em contraste com os tipos anteriores, a solidariedade mecânica é caracterizada por uma total competência e independência de cada indivíduo na maioria dos empregos, caso em que os indivíduos não têm necessidade dos outros.

Em conclusão, solidariedade é saber como se comportar com as pessoas; é uma forma de comportamento social com o propósito de criar coesão e laços sociais que unem os membros de uma parceria uns com os outros.

Solidariedade cristã

A solidariedade faz parte da Doutrina Social da Igreja Católica e, como tal, é definida como a consideração do conjunto de características ou aspectos que relacionam ou unem as pessoas, e a ajuda mútua, interação, colaboração e serviço que esse conjunto de relacionamentos promove e encoraja. Essa colaboração e interação devem contribuir para o desenvolvimento, crescimento e progresso de todos os seres humanos com base nos valores cristãos e evangélicos.

O grande valor dessa visão está em sua base. Nós não praticamos solidariedade simplesmente porque há uma conveniência social; pelo contrário, somos solidários porque todo ser humano desfruta de uma dignidade única e irrepetível que é dada por Deus.