Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

“O papai é mais legal”: o que fazer quando a criança acha um dos pais mais divertido

FATHER AND DAUGHTER
By 4 PM production | Shutterstock
Compartilhar

Aprenda a lidar com essa realidade sem descuidar das regras e limites

Se você é mãe, imagine a seguinte situação (e veja se você se identifica): nas últimas duas horas, você ficou pedindo ao seu filho para terminar o dever de casa. Ele se levantou várias vezes e encontrou dezenas de distrações para atrasar o processo. Então, o papai chega do trabalho e começa a brincar jogando seu filho pro ar, voando como um avião ao redor da casa enquanto a criança grita de alegria. Você fica frustada. Quando você, finalmente, consegue fazer com que seu filho se acalme novamente, o jantar já está pronto e o processo de lição de casa agora vai atrapalhar o horário do banho e a hora de dormir.

Pode ser muito frustrante quando você sente que está cuidando de tudo sozinha e o pai do seu filho é o “senhor Diversão”, enquanto você tem que ser a “senhora Chata”. Você pode ser casada com ele ou lidar com uma situação de divórcio. Se seus filhos vivem com vocês dois ou vão de uma casa para outra, a necessidade de você ser firme é crucial. Aqui estão alguns conselhos que você pode seguir se isso acontece em sua família:

  • Peça ao pai para compartilhar com você o fardo da disciplina. 

Quando o pai deixa para você o trabalho mais pesado, enquanto ele fica no papel de melhor amigo do seu filho, é importante ter uma conversa honesta com ele sobre como vocês desejam criar os seus filhos. Comece a conversa afirmando o quanto você aprecia sua conexão com as crianças. Incentivar o que ele está fazendo mais do que enfatizar o que você não concorda fará com que ele fique mais aberto para ouvir suas ideias. Ele pode não estar ciente das mesmas coisas que você. Ele pode não saber que seu filho está atrasado no conteúdo escolar e precisa terminar essa tarefa hoje à noite. Você não pode controlar as ações, atitudes ou crenças do outro genitor, por isso nem tente. Já é difícil o suficiente controlar-se, quanto mais tentar controlar outra pessoa. Usar imposição ou manipulação só piorará as coisas. Se ele não concordar com o que você acha melhor, confie em sua própria influência em sua vida. Permaneça como uma força fundamental consistente para ele;

  • Não faça uma competição entre você e o pai.

Quando seus filhos veem vocês dois abertamente divididos e conflitantes, eles aprenderão como manipular as coisas em benefício deles e perderão o respeito por vocês dois. As crianças são espertas e percebem, além das circunstâncias, a dinâmica na relação entre você e o pai delas. Se você está em uma situação de divórcio com guarda compartilhada, pode dizer coisas como: “Sim. As coisas são diferentes na casa do papai, mas aqui você tem que ir para a cama às 20h”. Você não precisa defender suas decisões ou explicar as decisões do outro genitor. Sua confiança em suas próprias escolhas dá às crianças estabilidade e segurança;

  • Não é um concurso de popularidade.

Você tem que ficar focada nas necessidades das crianças acima de suas próprias necessidades de aceitação. Elas podem dizer coisas que te deixarão chateada quando você toma decisões que eles não gostam. Nesses momentos, mantenha o “quadro geral” em sua mente: a diversão é muito importante, mas também os limites, a orientação e a responsabilidade. Concentre-se em sua conexão com seus filhos. Dê a eles a disciplina e as diretrizes de que precisam, mas também dê seu tempo, seus ouvidos e sua atenção. Crie suas próprias memórias divertidas com eles ou participe da diversão que eles estão tendo com o pai. Talvez relaxar um pouco faça você se sentir melhor;

  • Regras e limites fazem uma criança se sentir segura.

Elas odeiam o fato de você fazê-las escovar os dentes, comer legumes ou fazer o dever de casa. Ter a consistência das regras e limites em suas vidas irá construir uma estrutura dentro delas para o sucesso a longo prazo na vida. A insegurança é germinada e cresce quando as crianças se sentem totalmente responsáveis ​​por si mesmas. Elas podem lutar com você agora, mas agradecerão mais tarde.

(Via Sempre Família)