Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Multidão se despede de vítimas de Suzano em velório coletivo

DOLORE DONNE ABBRACCIO

ERIC CABANIS I AFP

Agências de Notícias - publicado em 17/03/19

A despedida contou com milhares de pessoas, entre alunos da escola, amigos, vizinhos e autoridades

Uma multidão se despediu nesta quinta-feira (14) dos mortos no massacre cometido na véspera por dois ex-alunos em um colégio em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, que mataram oito pessoas e deixaram 11 feridos.

Milhares de pessoas passaram emocionadas pelo velório coletivo na Arena Suzano, cidade situada a 50 km de São Paulo, em choque desde que os ex-alunos Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, 25, invadiram a escola estadual Raul Brasil, matando a tiros e golpes de arma branca cinco estudantes e duas funcionárias.

Segundo a Polícia, depois do ataque brutal, o mais jovem matou o mais velho e se suicidou.

Antes de invadir a escola, Guilherme já tinha feito uma vítima: seu tio Jorge Antônio de Moraes, dono de uma locadora de carros e lava-jato. Ele foi socorrido, mas morreu no hospital.

Os corpos de quatro jovens, com idades entre 15 e 17 anos, e das duas funcionárias, de 38 e 59, foram velados em uma quadra transformada em centro fúnebre por várias coroas de flores.

A despedida contou com milhares de pessoas, entre alunos da escola, amigos, vizinhos e autoridades.

Devastados pela dor, os familiares se abraçaram e choraram ao lado dos caixões durante um velório aberto ao público por oito horas, antes do cortejo até o cemitério onde foi enterrada a maioria das vítimas.

Outro dois estudantes e Jorge Moraes foram enterrados em cerimônias separadas.

Os assassinos foram sepultados em cerimônias íntimas e com reforço policial, segundo informações divulgadas pela imprensa local.

Apesar de ainda não se saber qual foi a motivação dos atacantes – amantes de videogames que entraram na escola armados com um revólver calibre 38, um machado, coquetéis molotov, uma besta e um arco profissional -, à medida que as horas passam mais detalhes sobre o massacre aparecem.

O vídeo de uma das câmeras de segurança da escola difundido pela Band mostra imagens arrepiantes em que se vê um dos assassinos entrando no prédio com um boné, antes de tirar a arma da cintura e atirar com frieza na direção de um grupo de alunos que conversava na entrada, matando vários deles.

Ato contínuo, entra o segundo jovem, que ataca com o machado os feridos a bala caídos no chão antes de um grupo de estudantes apavorados passar por ele, correndo para fugir do outro agressor, que já estava no pátio.

O ataque é incomum no Brasil, onde se discute se este tipo de violência pode ser atribuída à influência de imagens de ataques similares em escolas e universidades dos Estados Unidos ou à defesa do porte de armas de fogo pelo presidente Jair Bolsonaro, que recentemente flexibilizou sua posse, atendendo a uma reivindicação da bancada da bala, uma de suas bases de sustentação no Congresso.

– “Deep web” –

O Ministério Público investiga se os assassinos agiram sob influência de alguma organização criminosa ligada a sites violentos da ‘deep web’, que supostamente frequentavam.

Um destes espaços, conhecido como Dogolachan, já foi alvo de operações das autoridades e um de seus criadores, condenado a 40 anos de prisão por crimes como associação criminosa para cometer racismo, divulgação de pedofilia e incitação ao terrorismo, segundo o site G1.

“Temos notícias de que os assasinos se comunicavam pela ‘deep web’ com outras pessoas. Isto deve ser investigado para verificar se há uma organização criminosa por trás da ação que realizaram”, disse o Procurador Geral de Justiça de São Paulo, Gianpaolo Smanio, segundo o qual os agressores planejavam o ataque há um ano.

No final da tarde, a polícia pediu a apreensão de um adolescente de 17 anos que admitiu ter participado do planejamento do ataque.

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou que pagará uma indenização de 100 mil reais aos familiares das vítimas que decidirem não processar o Estado.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia