Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Este milagre eucarístico ainda contém sangue fresco mais de 770 anos depois

SANTAREM EUCHARIST MIRACLE
Stephanie Le | Shutterstock
Compartilhar

O milagre é visível para os peregrinos em Santarém, Portugal, e parece o mesmo desde 1247

Os católicos acreditam que o pão e o vinho na missa são transformados no corpo e sangue de Jesus. É um mistério conhecido como “transubstanciação”. Significa que, enquanto as aparências do pão e do vinho permanecem, a substância subjacente é transformada (através do poder de Deus) completamente para o corpo e sangue de Cristo. É um ensinamento baseado nas escrituras e na tradição e permanece imutável em sua essência desde os tempos apostólicos.

No entanto, a Igreja reconhece que, em raras ocasiões, tanto a substância quanto a aparência são transformadas em corpo e sangue de Jesus. Estes são identificados como “milagres eucarísticos” e testemunham as palavras que Jesus deu aos seus discípulos na Última Ceia (“Este é o meu corpo”).

Um desses milagres ocorreu em Santarém, Portugal, em 1247, quando uma jovem, com ciúmes do marido, foi a uma feiticeira na esperança de fazer uma poção do amor. A feiticeira instruiu a jovem a furtar uma hóstia consagrada de uma Igreja Católica. A jovem seguiu as instruções e escondeu a hóstia em um pano de linho.

Logo depois que ela colocou a hóstia no pano, a hóstia começou a sangrar. Ela ficou assustada com o que viu e rapidamente fechou a hóstia em uma gaveta em seu quarto. À noite, raios brilhantes de luz vinham da gaveta, e ela foi forçada a contar tudo ao marido.

No dia seguinte, ela levou a hóstia milagrosa ao pároco, que a consagrou e colocou em um relicário. Assim permaneceu em Santarém desde então. Investigações canônicas foram realizadas em 1340 e 1612. Em ambas as ocasiões, o milagre foi considerado autêntico.

Ao longo dos séculos, a hóstia mostra-se como tecido com sangue fresco ou mostra-se ressequida. O Sangue Solidificado do milagre é guardado no vidro de um relicário que se encontra no altar principal do Santuário de Santarém.

É um sinal para todos da presença real de Jesus na Eucaristia e tem revigorado a fé de muitos católicos ao redor do mundo.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.