Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Por que o trabalho deve sempre ser seguido pelo descanso, segundo São João Paulo II

POPE JOHN PAUL II

OSSERVATORE ROMANO | VATICAN | AFP

Philip Kosloski - publicado em 05/09/19

O trabalho é bom, mas precisa ser equilibrado com o descanso. Só assim poderemos imitar o nosso Criador

Estudos recentes afirmam que jornada média de trabalho no mundo está aumentando, com mais e mais pessoas trabalhando em média 50 horas por semana. Isso é ainda mais preocupante quando se leva em contar o número de trabalhos home office, onde se confundem trabalho e vida familiar.

Além disso, em muitas países, o domingo não é mais um dia de descanso; é simplesmente incluído na semana de trabalho quando há necessidade de concluir determinados projetos, por exemplo. Como resultado, o conceito de descanso está desaparecendo lentamente da vida de muitas pessoas.

São João Paulo II escreveu, em sua encíclica Laborem Exercens, que precisamos ler o livro de Gênesis para entender a dignidade de nosso trabalho, bem como nossa necessidade inerente de descanso

A descrição da criação, que encontramos no primeiro capítulo desse livro, também é, em certo sentido, o primeiro “evangelho da obra”, pois ensina que o homem deve imitar Deus, seu Criador, trabalhando. Porém o homem deve imitar a Deus tanto no trabalho quanto no descanso.

Deus nos mostra claramente, por meio de sua atividade criativa, que os humanos não foram projetados para levar vidas de trabalho constante. Até mesmo os nossos corpos revelam essa realidade, pelo fato de ser impossível ficar sem dormir.

João Paulo II chega ao ponto de dizer que os trabalhadores têm “direito ao descanso. Em primeiro lugar, isso envolve um descanso semanal regular, que inclui pelo menos o domingo, e também um período mais longo de descanso, a saber: as férias tiradas uma vez por ano ou, possivelmente, em vários períodos mais curtos durante o ano.”

A nossa alma precisa de descanso não apenas para sobreviver neste mundo, mas também para nos preparar para o que está por vir.

João Paulo II explica que “o trabalho do homem também não exige apenas um descanso a cada sete dias”. Em outras palavras, o Céu é o “descanso eterno” a que estamos destinados a desfrutar e, a fim de preparar nossa alma para esse descanso, devemos praticá-lo agora.

Ao prosseguirmos em nossas vidas diárias, lembremo-nos de que, embora o trabalho possa ser importante, o descanso também deve ser um lugar primordial em nossas vidas, permitindo, assim, que nossos corpos e almas possam descansar na paz de Jesus Cristo.

Tags:
DescansoTrabalho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia