Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Padre Pio tinha os estigmas, mas uma ferida secreta era mais dolorosa que as outras

Public Domain
Padre Pio em uma Missa de Natal.
Compartilhar

O santo revelou isso apenas para uma pessoa: Karol Wojtyla, o futuro Papa João Paulo II

O Padre Pio é um dos poucos santos que sofreu os estigmas (feridas) da paixão de Cristo em seu corpo. Além das feridas dos espinhos e da lança, São Pio também recebeu a laceração que Nosso Senhor suportou em seu ombro, um ferimento causado por carregar a cruz, do qual sabemos porque Jesus revelou a São Bernardo.

Essa outra ferida que Padre Pio teve foi descoberta por um de seus amigos e filhos espirituais, o Irmão Modestino de Pietralcina.

Esse frade era da terra natal de Pio e o ajudava nos serviços domésticos. O futuro santo disse-lhe um dia que trocar de camisa era uma das coisas mais dolorosas que ele tinha Se suportar.

O Irmão Modestino não entendeu imediatamente o porquê. Ele percebeu a verdade apenas após a morte do Padre Pio, quando preparava as vestes de seu pai espiritual.

Modestino recebeu a tarefa de coletar todos os pertences do Padre Pio e guardá-los. Na camisa do padre, ele encontrou uma grande mancha no ombro direito, perto da omoplata. A mancha tinha cerca de dez centímetros de diâmetro (um pouco semelhante à mancha no Santo Sudário). Ele percebeu que, toda vez que o Padre Pio tirar a camisa, desgrudar o pano dessa ferida aberta teria causado uma dor enorme.

“Informei imediatamente o meu superior sobre que encontrei”, recordou o Irmão Modestino, e o superior pediu que ele fizesse um breve relato. Ele acrescentou: “O padre Pellegrino Funicelli, que também havia ajudado o Padre Pio por muitos anos, disse-me que, muitas vezes, ao ajudar o padre a trocar a camiseta de lã que ele usava por baixo, ele sempre notava – às vezes no ombro direito, às vezes no esquerdo, um hematoma circular”.

Wojtyla, seu confidente

O Padre Pio não falou sobre essa ferida com ninguém, exceto com o futuro João Paulo II. Se o santo irmão revelou apenas a ele, deve ter havido uma razão.

O historiador Francesco Castello escreve sobre um encontro em San Giovanni Rotondo, em abril de 1948, entre o padre Wojtyla e o padre Pio. Foi então que Pio contou ao futuro papa sobre sua “ferida mais dolorosa”.

O irmão Modestino relatou mais tarde que o padre Pio, após sua morte, deu-lhe um entendimento especial dessa ferida.

“Uma noite, antes de dormir, fiz uma petição a ele em oração. “Querido padre, se você realmente teve essa ferida, me dê um sinal.” E então eu fui dormir. Mas à 1h05 da manhã, uma dor aguda e repentina no meu ombro me despertou de um sono tranquilo. Era como se alguém tivesse pegado uma faca e arrancado a carne do meu ombro. Se a dor tivesse continuado mais alguns minutos, acho que teria morrido. No meio disso, ouvi uma voz que dizia: ‘Foi assim que sofri’. Um perfume intenso me cercou e encheu meu dormitório. Senti meu coração transbordar de amor a Deus. Eu senti uma sensação estranha: ter essa dor insuportável tirada de mim parecia ainda mais difícil do que a suportar. O corpo queria rejeitá-la, mas a alma, inexplicavelmente, desejava-a. Foi algo extremamente doloroso e doce ao mesmo tempo. Finalmente eu entendi!”

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.