Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Agora existem evidências suficientes para provar que Shakespeare era católico, diz autor

WILLIAM SHAKESPEARE
Compartilhar

a família de Shakespeare era uma das mais notórias de católicos do país

Shakespeare era católico, afirma Joseph Pearce, autor de The Quest for Shakespeare.

Joseph Pearce, conhecido por suas biografias de convertidos católicos e outras personalidades, disse em uma entrevista à revista America que Shakespeare era, “além de qualquer dúvida razoável”, pelo menos um “católico simpatizante” e “de certa forma um católico praticante e recusante”.

Os católicos recusantes ​​foram aqueles que, na época da Reforma Inglesa, permaneceram leais ao Papa e à Igreja Católica Romana e que não compareciam aos cultos da Igreja da Inglaterra.

Para Pearce, uma das evidências mais fortes do catolicismo de Shakespeare foi a compra do Blackfriars Gatehouse em Londres em 1612, pouco antes de se aposentar e voltar para Stratford-Upon-Avon.

“Este era um notório centro de atividades católicas recusantes em Londres”, afirma Pearce. A propriedade “permaneceu em mãos católicas desde a dissolução dos mosteiros até a compra por Shakespeare 80 anos depois, e Shakespeare insistiu que John Robinson – cujo irmão havia seguido no mesmo ano para estudar para o sacerdócio no Colégio Inglês de Roma – deveria permanecer como inquilino, indicando que a casa continuaria sendo usada como um centro de atividades católicas. Não há como negar que Shakespeare comprou a residência para que ela permanecesse em mãos católicas e, de fato, em suas próprias mãos, que eram católicas.”

Além disso, observou Pearce, a família de Shakespeare era uma das mais notórias de católicos recusantes do país: alguns de seus parentes foram executados por envolvimento nas chamadas conspirações católicas, e seu pai foi multado por sua insistência no catolicismo.

“Então ele certamente foi criado como militante católico”, afirmou o autor. “Em alguns círculos, presume-se que ele perdeu a fé quando veio a Londres e começou a escrever as peças, mas, como mostro em meu livro The Quest for Shakespeare e como outros autores demonstraram, todas as evidências mostram que Shakespeare manteve sua fé católica durante os 25 anos em que escreveu suas peças e poemas.”

Pearce disse que gostaria de escrever um livro separado enfocando cada uma das peças de Shakespeare, “porque acho que as evidências do catolicismo de Shakespeare realmente surgem quando você passa de cena em cena, sem tirar frases do contexto”.

“O que realmente precisamos são de dezenas de novos livros que analisem as peças da perspectiva de Shakespeare como católico”, concluiu.

“É um trabalho muito grande para uma pessoa, mas acho que precisamos de um campo totalmente novo de jovens acadêmicos que aceitam o desafio de realmente estudar as peças. Toda vez que releio uma peça, novos aspectos do catolicismo de Shakespeare surgem para mim, por isso é muito emocionante e ainda há muito a ser feito.”

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.