Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Estilo de vida

Sexualidade, castidade e o 6.º Mandamento

Shutterstock

Padre Reginaldo Manzotti - publicado em 28/10/19

A sexualidade integra a pessoa, porém implica um aprendizado do domínio pessoal, que é a castidade

“Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração. Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo todo seja lançado na geena. E se tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de ti, porque te é preferível perder-se um só dos teus membros, a que o teu corpo inteiro seja atirado na geena.Foi também dito: Todo aquele que rejeitar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo: todo aquele que rejeita sua mulher, a faz tornar-se adúltera, a não ser que se trate de matrimônio falso; e todo aquele que desposa uma mulher rejeitada comete um adultério”. (Mt 5, 27-32)

A Palavra de Deus fala com clareza sobre o que está no plano ideal de Deus na criação. Portanto, os filhos, a educação sexual, os valores pelos quais lutamos têm que seguir esse ideal de matrimônio, a que se refere o sexto dos Dez Mandamentos de Lei de Deus – Não cometer adultério. Esse é o referencial.

Por mais que a sociedade tenha permitido o divórcio, este não pode ser o ideal de vida de um casal. Todo o cristão tem que seguir os mandamentos, revelados por Jesus, mas lembrando que entre o ideal e o real é preciso buscar sempre o bom senso.

O sexto mandamento enfatiza a pureza, isto é, não pecar contra a castidade. Por isso, devemos ver a sexualidade como um dom, um presente de Deus. Se não fosse algo desejado por Ele, o ser humano poderia procriar de formas diferentes. Por exemplo, as crianças poderiam nascer em árvores, mas não! Deus quis na sua onisciência e onipotência que o espermatozoide se encontrasse com o óvulo, que houvesse amor, prazer, fecundação e a criação.

Isso significa que a sexualidade integra a pessoa, porém implica num aprendizado do domínio pessoal, que é a castidade – fruto da oração e da vivência dos sacramentos.

A vocação à castidade é uma integração correta da sexualidade na pessoa. E a sexualidade pertence ao ser humano. Ela é uma virtude que deve ser mantida a partir da temperança, do domínio de si mesmo, ou seja, um trabalho de longo prazo.

A castidade não e algo exclusivo de padres, religiosas e religiosos, pois existe em três âmbitos: a primeira dos esposos, a segunda da viuvez e a terceira da virgindade.

Os casados têm que viver a castidade entre eles. É fidelidade do marido para com a esposa e da esposa para com o marido. Na viuvez também tem que se viver a castidade. E uma pessoa que escolheu viver solteira, como os sacerdotes, religiosos e religiosas, tem que viver a castidade.

Existem casais que vivem a castidade conjugal, por problemas de impotência sexual por exemplo. O homem que se tornou impotente e a esposa, por amor, se tornou incontinente.

Enfim, a castidade no seu estado de vida é uma virtude e depende do esforço, seja ela em qualquer idade da vida. É uma virtude moral, é também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual. “O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo” (1Jo 3, 3). Em outro texto encontramos: “O fruto do Espírito é o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a fidelidade e a castidade.” (Gl 5, 22).

Portanto, repito, apesar de ser fruto do esforço humano, a castidade é dom de Deus e fruto de uma obra espiritual.

Já a sexualidade é de toda a pessoa e diz respeito à afetividade, a capacidade de amar, de procriar, de criar vínculos de comunhão.

Quero lembrar, de forma positiva, que a vocação à castidade é uma integração correta da sexualidade na pessoa. E a sexualidade é reservada para os casais. O sexo fora do casamento é uma falta grave, não só contra Deus, mas contra a própria pessoa, e o prazer moralmente desordenado provoca a destruição da dignidade da pessoa.


FAMILY

Leia também:
O 4.º Mandamento é uma luz no meio de uma sociedade de profundas sombras

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CastidadeSexualidade
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia