Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

3 dicas para ensinar sua filha adolescente a ser uma boa amiga

SOCIAL MEDIA
Mat Hayward - Shutterstock
Compartilhar

Uma vida repleta de verdadeira amizade é um dos melhores presentes que você pode dar à sua filha adolescente

Minha filha mais velha, Sienna, está na metade da 8ª série, e deixe-me dizer: tem sido difícil. Fazer boas amizades neste ano é um desafio – às vezes até uma batalha. Mas é vital que os pais entrem na briga com as filhas, porque as lições que elas aprendem na 8ª série criarão uma base para suas amizades nos próximos anos. Aqui estão três das lições mais importantes que aprendi até agora sobre como ajudar as adolescentes a fazer amizades profundas e significativas que podem suportar não apenas o teste do drama da 8ª série, mas também o teste do tempo.

1
Ouvir... tudo

Antes de ajudar sua filha a aprender a fazer amizades, você precisa descobrir como ela está navegando na dinâmica social. Mas se você perguntar: “Ei garota, como você está navegando na dinâmica social?”, você será recompensada com um olhar vazio, na melhor das hipóteses. Se ela tentar explicar suas teorias sobre amizade e ações à luz dessas teorias, é provável que ela lhe diga o que acha que você quer que ela pense e faça. Afirmação e aceitação são cruciais na adolescência – tanto entre os colegas quanto em casa. Em vez disso, quando ela voltar para casa repleta de uma longa e complicada história sobre o drama do dia concentre sua atenção e realmente ouça.Confie em mim, eu sei o quão difícil isso pode ser. Minha filha faz isso várias vezes por dia, e às vezes tudo o que eu quero fazer é tapar meus ouvidos e fugir gritando. Mas pais, essas histórias são uma mina de ouro. Se você ouvir atentamente e perceber os detalhes, começará a entender o que realmente está acontecendo no coração e na mente de sua filha adolescente. Você será capaz de identificar padrões de comportamento e hábitos de pensamento que podem minar as tentativas de amizade dela e começará a se familiarizar com os pontos fortes e os dons sociais de sua filha. Isso lhe dará uma base sólida, a partir da qual você poderá orientar sua filha a aprender a desenvolver amizades virtuosas.

2
Faça perguntas desafiadoras

Depois de ouvir o tempo suficiente para estabelecer uma conversa de confiança com sua filha sobre os amigos dela, o próximo passo é resistir à tentação de dar conselhos. Intelectualmente, sua filha sabe que você esteve na 8ª série. Mas emocionalmente, ela tem certeza de que você nunca experimentou a vida “real” e não tem ideia do que está falando. Não é pessoal – é um estágio de desenvolvimento completamente normal e previsível. Não deixe que suas emoções sobre seu relacionamento com sua filha atrapalhem. Em vez disso, limpe suas habilidades negligenciadas no raciocínio socrático e veja essas conversas como um desafio intelectual. Faça perguntas – não à vontade, mas intencionalmente. Quando ela responder, faça mais perguntas sobre as respostas dela. Expresse absolutamente tudo como uma pergunta ou hipótese e permita que ela dê as respostas. Mas veja: não estou dizendo que você deve aceitar as respostas dela, especialmente se elas estão equivocadas ou se afastam da virtude. Mas, em vez de corrigi-la e criticá-la, modele a conversa de maneira a permitir que sua filha se corrija e se critique. Faça suas perguntas pensativas e desafiadoras, para que ela realmente tenha tempo para pensar nas nuances da amizade, interação social e consequências.

3
Seja o tipo de amigo que você quer para sua filha

Guardei a mais importante para o final: se você quer que sua filha aprenda a desenvolver amizades virtuosas e significativas, é absolutamente necessário mostrar a ela como se faz isso. Sabemos que nossos filhos aprendem muito mais sobre a vida nos assistindo ao vivo do que em qualquer coisa que dizemos – e a amizade não é exceção. Infelizmente, eu (como a maioria dos pais) muitas vezes estou tão consumida com o trabalho diário da vida que as amizades ficam em segundo plano, mas estou começando a perceber o quanto é importante mudar isso. Como posso mostrar à minha filha como é a verdadeira amizade se ela nunca me vê envolvida em amizade? Mesmo que eu tenha tentado priorizar minhas amizades nos últimos anos, não fiz disso uma prioridade. Conheci amigos para tomar café e almoçar em outro lugar, com certeza – mas não me lembro da última vez que convidei um amigo para tomar um café e conversa

O primeiro passo na modelagem de amizades é simples: traga seus bons amigos para a sua vida familiar. Então, depois que você começar a mostrar aos seus filhos como são as boas amizades em ação, mostre a eles como são os bons amigos na ausência. Seja gentil e atencioso com seus amigos quando eles não estiverem por perto. Nunca fofoque, critique ou menospreze seus amigos pelas costas. Claro, você pode pensar que é só você e seu marido conversando na cozinha tarde da noite, mas tudo o que é preciso para minar tudo o que você está tentando ensinar à sua filha sobre ser uma boa amiga é que ela ouça uma conversa dessas. Se ela suspeitar que todas as pessoas, inclusive os adultos, se envolvam em um comportamento cruel, você não só perderá o respeito dela, mas também a confiança.

Mostre a sua filha como formar amizades virtuosas sendo uma amiga virtuosa, e tudo o que você estiver tentando ensinar a ela afundará na medula de sua alma. Uma vida de verdadeira amizade é um dos melhores e mais importantes presentes que você pode dar à sua filha adolescente.

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.