Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Quer ser mais humilde? Aqui estão duas maneiras de começar

PORTRAIT;
Shutterstock | Olena Yakobchuk
Compartilhar

Trabalhar nestas duas outras virtudes realmente nos ajuda a crescer em humildade

A humildade é uma virtude muito importante. Uma sociedade em que a humildade não é praticada logo se tornará um mar de vontades conflitantes, nas quais a inveja, o orgulho e a arrogância levam à divisão e, algumas vezes, até à destruição mútua.

Do ponto de vista cristão, a humildade é uma virtude que Cristo praticou e nos convidou a praticar: “”Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas” (Mt 11, 29).

Se queremos nos tornar mais humildes, podemos ter certeza de que será uma batalha. Temos que lutar contra o nosso egoísmo, que se expressa de mil maneiras diferentes.

Se examinarmos nossa consciência, imediatamente notaremos que organizamos nosso dia pensando exclusivamente em nosso próprio benefício e não no bem dos outros, e provavelmente não olhamos ao nosso redor para ver como podemos ajudar os outros.

Estas são apenas algumas das muitas manifestações comuns de orgulho que podem estar presentes em nossa vida.

Como podemos aumentar nossa humildade? Como podemos pensar menos sobre nós mesmos e pôr um freio no nosso orgulho?

Virtudes não são isoladas uma da outra. Elas estão conectadas, e isso deve nos motivar, porque significa que, quando lutarmos para melhorar uma virtude, também melhoraremos em outras virtudes durante o processo.

Às vezes, de fato, é mais fácil conquistar uma virtude, abordando-a lateralmente, por meio de ações e atitudes concretas que implicam a aplicação da virtude, em vez de focar na própria virtude. É o caso da humildade.

Por exemplo, sinceridade e obediência são duas virtudes muito concretas que podemos praticar que também nos ajudam a crescer em humildade.

Sinceridade

Quando somos sinceros, colocamos nosso orgulho em seu lugar. Ser sincero significa aceitar que nem sempre vamos parecer impecáveis, porque temos que estar dispostos a reconhecer nossos erros e limitações na frente dos outros. Quando reconhecemos que cometemos um erro, damos o primeiro passo para pedir perdão.

A sinceridade consiste em dizer toda a verdade, não apenas verdades parciais que são convenientes para nós. É algo que precisamos aplicar em nossas amizades, nossa família, nosso casamento, nossa vida profissional, nosso relacionamento com Deus… em todos os aspectos de nossa vida.

Quando somos sinceros, experimentamos a sensação de liberdade e paz. A sinceridade nos liberta dos laços do engano e das mentiras que nos prendem como uma teia de aranha. É um alívio, mesmo quando isso significa que temos que pagar um preço pelo que podemos ter dito ou feito no passado.

Ser sinceros nos torna transparentes para os outros, permitindo que eles nos conheçam como somos. Não carregaremos segredos que escondemos de pessoas importantes em nossa vida, nem a dúvida persistente: “Eles ainda gostariam de mim se realmente me conhecessem?”

Nossos amigos saberão o que pensamos e como sentimos, o que é vital para uma amizade verdadeira. Quando nossas amizades são baseadas na verdade, elas são resistentes e sólidas.

Se habitualmente somos sinceros com as pessoas e temos um relacionamento de confiança, isso nos ajuda a superar nosso medo de ser vulneráveis. O medo de nos abrir nos limita a relacionamentos superficiais; sinceridade leva a amizades profundas e duradouras.

Obediência

Por meio da obediência, submetemo-nos a outra pessoa: nossos pais, nosso chefe no trabalho, autoridades locais… Especialmente quando adultos, a obediência requer uma decisão, fazendo voluntariamente o que alguém nos diz e aceitando as consequências de nossa obediência.

Quando obedecemos, reconhecemos que alguns têm autoridade sobre nós, e isso nos torna mais humildes. Isso significa que avaliamos a situação e reconhecemos que essa pessoa está, em algum aspecto, acima de mim.

Às vezes, obedecer significa que temos que parar de fazer algo que gostaríamos e começar a seguir uma direção diferente, de acordo com o que uma pessoa com autoridade nos disse. Implica confiar no outro, apesar de nosso próprio julgamento ou desejo. Temos que adotar uma nova perspectiva, dar preferência a outras pessoas, colocar nossos próprios planos em segundo lugar e focar em outros objetivos. Fazer tudo isso é uma maneira de exercitar a humildade.

Quando é difícil ser humilde e não sabemos como começar a melhorar, podemos praticar a sinceridade e a obediência. Se trabalharmos nelas, mesmo que de pequenas formas, elas serão como duas rodas que nos ajudarão a progredir em direção ao nosso objetivo de humildade.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.