Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 17 Setembro |
São Roberto Belarmino
home iconEstilo de vida
line break icon

3 elementos essenciais para uma parentalidade eficaz

MOTHERHOOD

Natalia Fedori - Shutterstock

Jim Schroeder - publicado em 27/12/19

Psicólogo pediátrico revela 3 características que você precisa ter para ser o pai ou a mãe que sempre sonhou

Como pai ou mãe, você já quis fazer alguma coisa para (ou com) seu filho, mas não conseguiu? Você já teve grandes idéias e as melhores intenções para ajudar a melhorar uma situação em casa, mas lutou para encontrar energia para sustentá-las? Eu sei: se você é como eu, a resposta é um retumbante SIM. Na verdade, eu argumentaria que todo mundo que já foi pai ou mãe passou por isso.

Quando minha esposa e eu tivemos nosso primeiro filho, há 13 anos, nós dois dizíamos que a realização bem-sucedida de nossas tarefas como pais deveria ser nosso foco principal. Mas com o passar dos anos, chegamos a uma conclusão diferente. O que agora acredito ser o mais crítico é não ser o melhor “mestre de tarefas dos pais”, mas sim desenvolver a “capacidade dos pais”, que deriva diretamente da capacidade pessoal em três áreas.

Como psicólogo pediátrico, testemunhei milhares de casos em que a intenção de um dos pais foi frustrada por sua luta com três elementos essenciais: empatia, regulação emocional e resistência. Mostre-me um pai com grande capacidade pessoal nessas áreas, e eu mostrarei um pai que está tendo sucesso (não perfeição, lembre-se) de criar os filhos da maneira que eles desejam. Quanto mais falta nessas áreas, mais difícil é sermos os pais que queremos e orientarmos nossos filhos da mesma maneira.

Todo pai deseja ser eficaz e nenhum elemento é mais importante que estes três:

Empatia

Por empatia, quero dizer a capacidade de entender como outra pessoa sente ou a capacidade de se colocar no lugar do outro. Isso não significa que você precisa concordar ou responder imediatamente, mas que você realmente tente entender o que ele ou ela está experimentando;

Regulação emocional

A regulação emocional é a capacidade de restringir, reduzir e até alterar as reações emocionais de uma maneira que seja boa para a situação, e resultar em ações eficazes e baseadas em valores, não apenas catárticas e deslocadas.

Resistência

Resistência é como uma pessoa sustenta energia e persevera através de obstáculos e estresse – fisicamente, psicologicamente, etc.

Embora a empatia, a regulação emocional e a resistência tenham um impacto tremendo na maneira como executamos comportamentos parentais específicos, eles não operam independentemente. Quanto mais empatia tivermos, maior será a probabilidade de regularmos nossas emoções; quanto mais regularmos nossas emoções, mais empatia sentiremos e mais empatia sentiremos, maior será a probabilidade de suportarmos. E assim por diante.

A maioria dos pais vem ao meu escritório com grandes intenções de melhorar as circunstâncias de seus filhos e familiares. Ainda assim, depois que as estratégias são discutidas e acordadas, elas retornam a mim reconhecendo que essas mudanças não foram implementadas ou não foram sustentadas. Muitas vezes, não é por falta de habilidade ou entendimento. Repetidamente, tem tudo a ver com esses três elementos.

Tudo isso me levou a considerar uma mudança na maneira como me vejo como pai. Eu costumava pensar que  poderia manter as demandas específicas que nossos filhos traziam para nossa família. Agora, acredito cada vez mais que a paternidade começa e termina com o que faço para aumentar a empatia, a regulação emocional e a resistência que possuo.

À medida que crescemos nessas capacidades, podemos nos surpreender ao descobrir como a vida parece mais gerenciável e significativa. Também podemos descobrir que, embora as tarefas dos pais ainda sejam desafiadoras e humilhantes, somos capazes de realizá-las com mais facilidade e com maior significado e resolução. E todas as manhãs, quando acordamos, à medida que nossa capacidade aumenta em apenas uma dessas áreas, ficaremos mais empolgados com as possibilidades do dia e menos ansiosos com o que poderia dar errado.

No final, nós, como pais, não fomos criados para sermos mestres em tarefas; fomos criados para ser agentes e modelos de orientação, motivação e inspiração. Se nossos filhos nos vêem principalmente como indivíduos esfarrapados e desgastados, correndo para atender às suas necessidades, esperamos que ainda nos amem e nos respeitem pelos grandes esforços que estamos fazendo (embora possam nos dar como certos). Mas é improvável que eles desejem nos imitar, porque esse tipo de parentalidade não parece muito atraente para a próxima geração. Se priorizarmos esses três elementos em nossas vidas, um dia, quando nossos filhos se tornarem pais, há uma boa chance de eles herdarem essa propensão à criação de capacidade e poderem ajudar a próxima geração a aprender a não apenas sobreviver, mas prosperar.

Tags:
Educação dos FilhosMaternidadepais

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
Irmã Lúcia, de Fátima, e o Papa São João Paulo II
Francisco Vêneto
O terço “funciona”, garante a Irmã Lúcia, de Fátima: e ela explic...
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
5
porta
Reportagem local
Capelão de hospital: ação dos anjos é fundamental na hora da mort...
6
Ricardo Sanches
Menino de 4 anos brinca de missa, conhece vários santos e surpree...
7
ROSARY
Philip Kosloski
É verdade que meu Anjo da Guarda termina de rezar o Rosário se eu...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia