Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

5 ensinamentos católicos que libertam as famílias

FAMILY, OUTDOOR, HAPPY
Compartilhar

Para viver em família com amor e sabedoria, certas escolhas precisam ser feitas

A verdadeira liberdade não significa ser capaz de fazer o que você quer; significa ser capaz de ser quem você quer ser.

Você só pode emagrecer se tiver a liberdade de dizer não a certos alimentos e bebidas. Você só pode ser uma pessoa atenciosa se tiver a liberdade de dizer não ao seu celular. E você só pode ter um casamento forte se for livre o suficiente para poder dizer não a algumas coisas.

Todos sabíamos o que queríamos ser quando paramos diante do altar e dissemos “sim”.

Queríamos ser um casal forte, unido no amor. Queríamos envelhecer juntos como parceiros comprometidos, ajudando um ao outro através dos altos e baixos, apoiando um ao outro tudo.

Essa é uma visão bonita, mas, como uma dieta ou um programa de exercícios, implica dizer “Não” a certas coisas da vida para dizer um “Sim” mais alto ao nosso cônjuge. De fato, isso começa antes do casamento.

1. Nada de morar junto. Isso significa dizer sim a uma avaliação clara do seu relacionamento

Por que é libertador viver à parte do seu amado e não expressar seu amor sexualmente antes do casamento?

Porque o sexo te conecta e te cega – e você quer se casar sem impedimentos, com os olhos bem abertos.

Estudos mostram que o sexo é realmente poderoso. A atividade sexual estimula substâncias químicas fisiológicas em seu cérebro que fazem você se sentir ligado a outra pessoa e ajudam a ignorar as falhas do outro.

Não é à toa que até o New York Times relata que morar junto antes do casamento aumenta as chances de divórcio. .

2. Educar filhos na Igreja une os casais

Colocar toda a família sob o manto da Igreja é um ato de humildade que permite que você se incline a uma sabedoria maior que a sua. E ajudar seus filhos a encontrar a fé deles ajuda-o a encontrar a sua própria fé.

“Vamos reservar um lugar especial em nossas famílias para a oração individual e comunitária”, disse o Papa Francisco. “Se falta o amor de Deus, a família perde sua harmonia, o egocentrismo prevalece e a alegria desaparece”.

3. “Sem divórcio” tira um peso enorme

A Igreja Católica permite a separação e até o divórcio em casos de abuso real; portanto, saiba que não estou falando desses casos.

Mas muitos casais católicos mais velhos podem recordar até a data em que teriam se divorciado, se isso fosse uma opção. E eles estão felizes por não terem se separado.

O divórcio complica imensamente sua vida, deixa-o sozinho ou em outro relacionamento que requer novos compromissos e, quando as crianças estão envolvidas, aumenta a incidência de todos os tipos de problemas em suas vidas.

Mas o ensino da Igreja de que o casamento é indissolúvel é um grande ato de fé em seu amor. Diz a você que, quando você disse “sim”, o próprio Jesus Cristo aceitou sua palavra e Ele o ajudará a cumprir seu voto.

4. A Igreja diz “sim” aos pais como educadores primários dos filhos, para que os pais possam dizer “não”

Os pais geralmente se sentem perdidos com a educação dos filhos. Algo que eles veem que as crianças aprendendo pode parecer errado, e eles pensam: “Quem sou eu para dizer que isso não está certo? Eu não sou especialista.”

A Igreja ensina que os pais são os especialistas. Isso deve significar que os pais educam – e a escola deve respeitar isso. É tarefa dos pais prestar atenção no que as crianças estão aprendendo, acrescentar o que acham necessário e ajustar o que for preciso.

5. Dizer “não” à contracepção significa dizer “sim” ao amor verdadeiro

O ensinamento da Igreja sobre contracepção artificial coloca o sexo em sua perspectiva apropriada. Por um lado, é um grande dom; por outro, nem sempre é nosso capricho.

Um marido contraceptivo pode facilmente se tornar como uma criança mimada, pensando que sexo é o seu direito o tempo todo. Uma esposa contraceptiva pode facilmente começar a se sentir acostumada a isso, que o desejo sexual dele é importante e que seus efeitos colaterais não importam.

A verdade é que o planejamento familiar natural é uma maneira muito mais humana de evitar ter filhos, se necessário, e ter filhos é uma maneira muito mais gratificante de viver a vida de casado, quando possível.

Amor verdadeiro significa também abrir mão do que você deseja, a fim de dar ao outro o que ambos precisam. Por fim, é isso que muitos desses “nãos” de um casamento se tornam: um grande “Sim” ao amor verdadeiro.

Boletim
Receba Aleteia todo dia