Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Encontre a paz no Sagrado Coração de Jesus durante esta Quaresma

coeur sacre jesus
Compartilhar

Para combater qualquer amargura de nossa parte, São Cláudio Colombiere sugere que nos matriculemos na “escola” do Coração de Jesus

Embora a Quaresma seja um período de paz e regeneração espiritual, às vezes os sacrifícios que oferecemos nos tornam amargos e até um pouco irritados. Não gostamos especialmente dos exercícios espirituais que escolhemos praticar e temos dificuldade em permanecer fiéis a eles.

Para combater qualquer amargura de nossa parte, São Cláudio Colombiere, diretor espiritual de Santa Margarida Maria Alacoque, sugere que nos matriculemos na “escola” do Coração de Jesus. É lá que podemos aprender a ter compaixão, paciência e ternura.

Jesus não se queixou durante a sua Paixão, mas ofereceu seu sacrifício de boa vontade e com amor puro. É em seu Sagrado Coração que devemos permanecer durante a Quaresma e descobrir uma paz que o mundo não pode nos dar.

Aqui está uma breve oração composta por São Cláudio Colombiere que resume esse ensinamento e nos faz voltar ao Sagrado Coração de Jesus durante a Quaresma.

“O Coração de Jesus deve ser nossa escola se quisermos aprender esta lição; vamos nos estabelecer nele durante esta Quaresma; vamos estudar seus movimentos e tentar conformar nossos próprios corações ao d’Ele. Sim, Jesus Divino! Habitarei em vosso coração, e lá derramarei toda a minha amargura… Não tenho medo de que a impaciência venha me atacar naquele retiro. Lá estudarei para praticar o silêncio, a resignação à vossa vontade, uma constância invencível. Agradeço todos os dias pelas minhas cruzes e peço perdão aos que me perseguem. Vou me esforçar para adquirir paciência. Estou ciente de que não é o trabalho de um dia, mas basta que eu saiba que isso pode ser alcançado em virtude do trabalho. Peço vossas orações, ó doce Jesus! O Senhor as ofereceu por seus inimigos; não as recuseis a mim. Desejo vos amar até a cruz, assim como a meus inimigos. Amém.”

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia