Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 17 Setembro |
São Roberto Belarmino
home iconAtualidade
line break icon

Pandemia aprofundará desigualdades na América Latina, alerta BID

ARGENTINA

Gentileza

Agências de Notícias - publicado em 10/05/20 - atualizado em 10/05/20

As taxas de perda de empregos e fechamentos de empresas são particularmente devastadoras para os pobres

A pandemia do novo coronavírus terá repercussões devastadoras no mercado de trabalho e aprofundará as desigualdades na América Latina, segundo um estudo publicado nesta sexta-feira (8), realizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) juntamente com a Universidade de Cornell, nos Estados Unidos.

“Os efeitos foram devastadores, estão estreitamente vinculados com a composição dos mercados de trabalho da região e terão consequências significativas na desigualdade econômica” na região, destacou o documento.

A pesquisa, feita em 17 países entre 27 de março e 30 de abril, com a participação de 200.000 pessoas, revelou que cerca de 45% dos participantes afirmaram que um dos membros de seu lar perdeu o emprego durante a pandemia.

Entre os lares consultados nos quais um membro tinha um empreendimento, 57% reportaram o fechamento de sua pequena empresa.

“As taxas de perda de empregos e fechamentos de empresas são particularmente devastadoras para os pobres, o que aprofundará a desigualdade”, disseram os especialistas.

A consulta mostrou que os lares com menor renda antes da pandemia – ou seja, com renda familiar abaixo do salário mínimo nacional – registraram taxas mais elevadas de perda de emprego, mais de 40 pontos percentuais acima dos lares com renda mais alta.

O estudo destacou que uma das causas poderia ser que “trabalhar de casa é um luxo que muitos lares com rendas mais baixas não podem se permitir”.

A pesquisa do BID também indicou que há “diferenças consideráveis na gravidade destes efeitos no mercado de trabalho entre os países, que poderiam exacerbar a desigualdade entre os mesmos”.

Uma hipótese para explicar esta tendência é a diferença na informalidade nos diferentes países, já que ela está vinculada a taxas mais altas de perda de emprego e fechamento de empresas.

Em países como Colômbia, Peru e Equador, onde há mais trabalhadores informais, houve mais perdas de empregos.

Segundo a pesquisa, 30% dos entrevistados informaram que seus rendimentos familiares foram inferiores ao salário mínimo. Em abril, 50% esperavam que sua renda familiar estivesse abaixo deste limite.

– Queda nas remessas –

“A pandemia do coronavírus também tem efeitos desproporcionais na segurança alimentar dos lares com renda mais baixa”, indicou o estudo, destacando que os lares com menores recursos têm mais probabilidades de “sofrer fome” e seguir uma dieta menos saudável.

O estudo também mostrou que para enfrentar a crise muitos lares recorrem a transferências familiares.

“Setenta por cento dos entrevistados com renda abaixo do salário mínimo em janeiro” afirmaram ter recebido empréstimos ou transferências de familiares ou amigos na semana anterior, informou a pesquisa.

Um tema-chave em muitos países é o das remessas, que o Banco Mundial advertiu que serão reduzidas devido à crise global do coronavírus. Só 40% dos pesquisados que regularmente recebem remessas do exterior asseguraram tê-las recebido durante a semana anterior ao estudo.

Setenta e sete por cento dos lares concordam em que a pandemia deve ser a prioridade principal dos governos e 54% pensam que os negócios não essenciais devem permanecer fechados durante um mês mais.

Mas a pesquisa revelou que “o apoio a estas políticas (de confinamento) está diminuindo substancialmente com o tempo, com uma queda mais pronunciada naqueles lares que perderam um trabalho ou fecharam um negócio”.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
2
Irmã Lúcia, de Fátima, e o Papa São João Paulo II
Francisco Vêneto
O terço “funciona”, garante a Irmã Lúcia, de Fátima: e ela explic...
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
5
porta
Reportagem local
Capelão de hospital: ação dos anjos é fundamental na hora da mort...
6
Ricardo Sanches
Menino de 4 anos brinca de missa, conhece vários santos e surpree...
7
ROSARY
Philip Kosloski
É verdade que meu Anjo da Guarda termina de rezar o Rosário se eu...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia