Aleteia

Eu pedi: “Vem, Espírito Santo”. Ele veio. E agora?

Waiting For The Word / Flickr CC
Compartilhar

O Espírito Santo não vem até nós à toa

Certa vez, estava participando de um Grupo de Oração, clamando o Espírito Santo sobre mim. Ao meu redor todos clamavam também. Foi um momento de grande súplica. Alguns já falavam em línguas, assim como em Pentecostes, (At 2, 1-4). E eu, com os meus olhos fechados, pedia baixinho: “Vem Espírito Santo”, buscando também essa experiência com Deus. Mas algo estava errado comigo, pois eu não estava como todas aquelas pessoas ao meu redor.

O que eu tenho de errado? Será que devo clamar mais? Ou eu fiz algo de tão errado que não possa experimentar este Fogo abrasador? E quanto mais eu pensava sobre isso mais perguntas apareciam. Abri meus olhos, ainda mais assustada: “E se o Espírito Santo vier agora, o que eu faço?”  Se Deus habita em meu coração porque eu preciso pedir o Espírito Santo?

Saindo do grupo o incômodo continuou. Estava inconformada com tudo aquilo que eu estava pensando e sentindo. Busquei nos livros sem saber por onde começar.

Mas de uma coisa eu podia ter certeza naquele momento: o Espírito Santo não viria até mim à toa. Eu não poderia “usar” esse dom maravilho para uma satisfação própria, alívio de minhas dores ou um recurso para ficar feliz por um tempo. Com certeza, uma visita dessas ao meu interior deveria ter um objetivo. Deus não se engana e não engana ninguém.

O Espírito Santo, o Paráclito, consola, cura, defende, dá força! Mas não para o meu uso próprio. Não seria para meu deleite único e exclusivo. Percebo, então, que este “presente” me impulsiona para a missão que Deus me deu! Em outras palavras, eu preciso fazer alguma coisa! Como Maria que, transbordando de graça, foi servir sua prima Isabel. Não recebo o Espírito Santo para ficar parada no meu cantinho curtindo o momento.

É verdade que Deus habita em todos os corações e o tempo inteiro busca se comunicar conosco. O que nos impede de ouvi-lo é a sujeira de nossa alma, encardida pelos nossos pecados. Mas o Espírito Santo vem até nós e aquece, cura, converte, limpa essa sujeira, traz um novo respiro àquilo que parecia impossível.

É por isso que quando iniciamos um verdadeiro caminho de conversão nós choramos, contritos pelas coisas erradas que fizemos e passamos a enxergar a verdade que liberta. Há uma divisão entre o velho e o novo, queremos uma vida nova: morrer de fato para este mundo para viver em Cristo. Esse caminho só é possível se houver um desejo de mudança dentro de nós! 

Para quem vive na presença de Deus, nada espanta, existe paz interior mesmo que o mundo pareça desabar. Mesmo em meio às maiores tragédias, mesmo com a dor da perda, o coração está firme e em paz. O Espírito Santo nos faz transbordar de alegria, enche-nos de vigor para unir a nossa vontade à Divina Vontade. Sem o Espírito Santo de Deus movendo-nos, chacoalhando-nos, nós não somos nada. 

Lembre-se: essa imensidade que Jesus ofertou-nos não é apenas para as nossas consolações. É muito mais que isso: é para que aquela brasa dentro do nosso coração que está se apagando pelos nossos pecados e nossa vida torta, se acenda, inflame dentro de nós, levando nossa mente a raciocinar, ativando nossa inteligência, abrindo-nos um clarão que nos faça enxergar o caminho que devemos seguir e todas as coisas que devemos fazer para buscar uma vida de santidade. 

Esse Fogo Divino contagia todos ao nosso redor com alegria e paz, para que, mesmo vivendo as calamidades dos tempos atuais, em meio às dores e sofrimentos de nossa vida, tenhamos a certeza que Deus habita em nosso coração e que sempre nos impulsionará para o bem.

E depois disso tudo eu percebi que, naquele dia, no Grupo de Oração, o Espírito Santo veio sobre mim, deixou meu coração ardendo, cheio de vontade de conhecer, de buscar, se estudar, para que eu pudesse refletir sobre todas estas coisas, e abrir-me um clarão de entendimento, trazendo-me a compreensão que eu precisava, até mesmo para transformar em música, um dos dons que Deus me deu.

Hoje tenho certeza de que cada um, com seu carisma que Deus concedeu, pode contribuir com seus dons na construção do Reino, que começa aqui e termina quando contemplarmos o céu. Viva o seu Pentecostes!

Se você deseja reinflamar o carisma de Deus que está em você, nesse momento de Pentecostes, e continuar a sua caminhada cristã, clique aqui e faça parte do Acampamento de Pentecostes sem sair da sua casa.

Esse artigo, de autoria de Marcela Buback Del Antonio, foi originalmente publicado na comunidade de orações Hozana

Boletim
Receba Aleteia todo dia