Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 28 Outubro |
São Sálvio
home iconReligião
line break icon

Pachamama e Vaticano: moeda comemorativa não representa o ídolo pagão andino

Moeda comemorativa Vaticano Dia Mundial da Terra

Escritório Filatélico e Numismático do Vaticano

Francisco Vêneto - publicado em 16/10/20

Lançada hoje, moeda mostra mulher amazônica grávida gestando o planeta, o que gerou algumas associações com o culto à "Mãe Terra"

Pachamama e Vaticano: a inusitada associação que gerou barulho no Sínodo da Amazônia voltou às redes sociais nesta semana. Por quê?

Porque o Escritório Filatélico e Numismático do Vaticano lança hoje, 16, uma moeda de prata comemorativa dos 50 anos de instituição do Dia Mundial da Terra. E o desenho da moeda, embora não retrate o ídolo pagão andino da fertilidade, levou internautas a fazerem novas associações entre o Vaticano e a Pachamama.

O criador da moeda, Luigi Oldani, a apresenta nesses termos:

“[A figura na moeda] representa uma mãe carregando a Terra, da qual devemos cuidar e amar como se fosse uma filha. As longas espigas de trigo nos cabelos, aliás, são uma referência cruzada entre o passado e o futuro, que se torna atemporal. Portanto, eterna”.

A moeda, de fato, traz a figura de uma mulher grávida, com traços amazônicos, gestando o Planeta Terra.

A rigor, não se trata da figura da Pachamama. As redes sociais, porém, a associaram com esse culto devido à similaridade com episódios que geraram perplexidade no Sínodo da Amazônia, em outubro de 2019.

Pachamama e Vaticano

A Pachamama é uma personificação da “Mãe Natureza” ou “Mãe Terra”. Ela faz parte do conjunto de crenças e cultos ancestrais andinos, que, aliás, também a relacionam com a fertilidade. É, portanto, um ídolo pagão.

Em 4 de outubro de 2019, no entanto, um evento da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM) e do Movimento Católico pelo Clima, nos Jardins do Vaticano, mostrou essa representação feminina, grávida e nua, como ligada ao universo indígena amazônico. O evento ocorreu durante o Sínodo da Amazônia.

Alguns grupos, além disso, impulsionaram tentativas forçadas de compatibilizar esse ídolo com a fé católica mediante associações subjetivas e confusas com Nossa Senhora.

É importante destacar, porém, que os documentos e discussões formais do sínodo como tal não estabeleceram nenhuma dessas associações.

Depois, a igreja de Santa Maria em Traspontina, que está aos cuidados dos padres carmelitas, expôs, sobre um altar, imagens vinculadas à Pachamama. Este caso, aliás, foi um dos que mais indignaram tanto clérigos quanto leigos: afinal, tratava-se da colocação de um ídolo pagão em lugar de destaque num templo católico. Em 21 de outubro, dois homens não identificados jogaram as esculturas no rio Tibre.

Além disso, a mesma igreja, que fica a pouca distância do Vaticano, sediou um evento sincrético de 4 a 27 de outubro, misturando tradições indígenas e referências cristãs.

“Escândalo de idolatria”

Uma das reações críticas mais contundentes a este sincretismo veio do Brasil.

De fato, em novembro de 2019, dom José Luis Azcona, bispo emérito da ilha de Marajó, tratou como “idolatria” e “escândalo” as relações entre esses eventos paralelos ao Sínodo da Amazônia e a Pachamama, porque se trata abertamente de um ídolo pagão. Ele pediu e defendeu mais clareza doutrinal.

Dom Azcona, que é espanhol, se tornou bastante conhecido e respeitado no Brasil por suas firmes denúncias contra a exploração sexual de crianças na região amazônica. Ele chegou, inclusive, a sofrer ameaças de morte em decorrência dessas denúncias.

O bispo emérito, além disso, contestou enfaticamente as alegações de que os indígenas seriam incapazes de compreender o celibato católico, já que uma das desculpas em voga para contestá-lo é a de que o celibato prejudicaria a continuidade da missão entre os povos indígenas.




Leia também:
Bispo é ameaçado de morte por denunciar exploração sexual de crianças de 10 anos

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
IdeologiaVaticano
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Pe. Zezinho
Francisco Vêneto
Duas emissoras brasileiras deturpam fatos em ...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia