Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Outubro de cruz para padres no Brasil: um perseguido, um raptado, um assassinado

violência contra padres no Brasil

Capturas de Tela YouTube / Redes Sociais (Reprodução)

Francisco Vêneto - publicado em 19/10/20

Pelo menos três casos de violência contra sacerdotes vêm gerando indignação e perplexidade nesta primeira metade do mês

Violência contra padres no Brasil: outubro de 2020 está sendo chocante neste quesito. Pelo menos três casos, de fato, vêm gerando indignação e perplexidade nesta primeira metade do mês.

Perseguido: Pe. Luciano Lustosa

No dia 3 de outubro, a Guarda Municipal de Conde, na Paraíba, conduziu coercitivamente o pe. Luciano Lustosa até a delegacia de polícia. Por quê? Porque ele pintou de marrom a cruz da própria paróquia, depois que a prefeitura a tinha pintado de azul. Fazia três meses, aliás, que o pároco solicitava a restauração da pintura. Ele obteve permissão do arcebispo para mandar fazer a obra, porque a administração pública não dava resposta. A cruz, afinal, pertence à igreja de Nossa Senhora da Conceição, e é ele quem a administra.

Mas a reação do poder público foi desproporcional e arbitrária. Enquanto a guarda municipal o levava coercitivamente, o padre declarou:

“Estou sendo preso. A prefeita mandou me prender. Eu troquei a pintura do cruzeiro, que é da paróquia. É uma coisa absurda. A gente fica de boca aberta diante dos desmandos, da arbitrariedade, do autoritarismo”.

Arbitrariedade

A prefeita em questão é Márcia Lucena, do Partido Socialista Brasileiro (PSB). Aliás, ela é candidata à reeleição, mesmo tendo sido denunciada, conforme a imprensa, por participação em organização criminosa. Em decorrência das investigações da Operação Calvário, de fato, a Justiça bloqueou bens da prefeita e determinou que ela usasse tornozeleira eletrônica, porque, segundo a ministra Laurita Vaz, relatora do caso, há risco de “reiteração delitiva” e de destruição de provas por parte dos investigados.

Márcia Lucena declarou que não mandou prender o padre. A guarda municipal, porém, atua sob ordens da administração da cidade: não poderia, portanto, ter a iniciativa de prender por si mesma o sacerdote.

A Arquidiocese da Paraíba divulgou nota questionando a alegação de que o padre teria cometido “crime de desobediência”. Além disso, a nota afirma que não houve determinação judicial nem flagrante delito para a condução coercitiva.

Na semana passada, o pe. Luciano pediu afastamento provisório da paróquia, porque tem recebido ameaças à sua integridade física.

Raptado: Pe. José Gilmar

A violência contra padres no Brasil, no entanto, vai além da perseguição ideológica. Tem havido, por exemplo, um notável aumento de assaltos e atos de vandalismo contra paróquias. E este mês viu casos ainda mais graves: houve de sequestro a assassinato premeditado.

Também na Paraíba, um padre ficou três dias desaparecido após enviar um pedido de socorro via celular. Trata-se do pe. José Gilmar, da paróquia de Santa Teresinha, na capital João Pessoa.

Policiais o encontraram bastante debilitado. Ele havia, afinal, ficado sem comida no cativeiro. Além disso, os criminosos o amarraram e ameaçaram, enquanto faziam insistentes pedidos de transferência de dinheiro.

No dia do rapto, o pe. José Gilmar tinha saído para acompanhar um velório, mas não chegou ao local. Foi um paroquiano quem recebeu a mensagem de socorro e mobilizou a polícia. Apesar da libertação do padre, as investigações sobre o rapto continuarão, assim como a busca pelos bandidos.

Assassinado: Pe. Adriano da Silva Bastos

Já em Minas Gerais, outro ataque a um sacerdote acabou de modo brutal. Acionada para buscar o padre desaparecido, a polícia encontrou o seu corpo incinerado e com sinais de violência covarde.

A vítima foi o pe. Adriano da Silva Bastos, de Manhumirim (MG). Quem responde pelo crime selvagem é um jovem de 22 anos, que, na delegacia, declarou inicialmente que era “amante do sacerdote”. Os policiais, porém, não acreditaram nesta versão. De fato, um novo interrogatório confirmou que se tratou de latrocínio premeditado.

Segundo o delegado Gladyson de Souza Ferreira, o jovem preso é traficante e estava em dívida com outros criminosos fornecedores de drogas. Assim, para tentar conseguir dinheiro, ele e pelo menos um cúmplice planejaram assaltar o pe. Adriano, que acabou sendo agredido, assassinado e tendo o corpo incendiado.

Assim como nos outros dois casos, a polícia continua investigando os fatos e procurando os cúmplices.

“Bônus”: o absurdo caso do Pe. Lodi


Padre Luiz Lodi

Leia também:
Condenado porque a justiça o atendeu: o complexo caso do padre e do aborto

Tags:
BrasilPadresViolência
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia