Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 20 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Aborto nos EUA: Casa Branca diz que “discorda respeitosamente” dos bispos

JOE BIDEN

Michael F. Hiatt - Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 30/04/21

A "respeitosa discordância" quer dizer que o governo Biden continuará facilitando o aborto e as pesquisas com tecido de bebês abortados

Aborto nos EUA é um assunto sempre candente, mas as suas circunstâncias costumam variar conforme o partido que ocupa a presidência do país.

Tem sido recorrente, por exemplo, que os presidentes democratas revoguem a assim chamada Política da Cidade do México, que impede a destinação de verbas federais a organizações pró-aborto no exterior, enquanto os presidentes republicanos reativam essa proibição. O nome dessa política governamental intermitente se deve ao fato de ter sido anunciada na capital mexicana em 1984, sob o governo Reagan.

Aborto nos EUA: uma questão ideológica

Outro exemplo da forte discrepância entre as posições ideológicas dos dois partidos principais dos EUA em relação à defesa da vida humana é que o atual governo democrata de Joe Biden revogou rapidamente diversas políticas pró-vida antes mantidas pelo ex-presidente republicano Donald Trump. Uma das decisões de maior impacto foi anunciada por Biden já em 28 de janeiro, apenas uma semana após a sua posse: ele oficializou a saída dos EUA da aliança mundial contra o aborto.

As novas diretrizes do governo Biden autorizam ainda os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) a realizarem pesquisas com tecido fetal e facilitam que pesquisadores de fora dos NIH também obtenham fundos federais para o mesmo tipo de pesquisa. Em contraposição, o governo Trump havia declarado em 2019 uma moratória referente ao uso de tecidos fetais em pesquisas dos NIH.

Casa Branca diz que “discorda respeitosamente” dos bispos

No tocante a este mesmo assunto, dom Joseph F. Naumann, presidente do Comitê de Atividades Pró-Vida da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB), lamentou em 19 de abril a postura do atual governo.

Por sua vez, a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, declarou nesta última terça-feira, 27, que o governo Biden “discorda respeitosamente” dos bispos católicos quanto às pesquisas com tecidos de bebês abortados, financiadas com fundos federais. Em entrevista coletiva, ela respondeu à pergunta de um jornalista da rede católica EWTN sobre a decisão do governo de retirar as restrições a essas pesquisas. A propósito da contrariedade do episcopado católico, Jen Psaki respondeu:

“Eu acho que a Casa Branca discorda respeitosamente [dos bispos]. Acreditamos que é importante investir em ciência e buscar oportunidades para curar doenças, e acho que é isso que esperamos alcançar”.

Bispos reforçam posição pró-vida

Em representação dos bispos católicos, dom Joseph F. Naumann havia afirmado sobre o assunto:

“Os corpos das crianças assassinadas por aborto merecem o mesmo respeito que os de qualquer outra pessoa. O governo não tem o direito de tratar as vítimas inocentes do aborto como uma mercadoria que pode ser coletada em busca de partes do corpo que serão utilizadas em pesquisas.

Não é ético promover e subsidiar pesquisas que podem levar a legitimar a violência do aborto. É profundamente ofensivo para milhões de americanos que o dinheiro de nossos impostos seja usado para pesquisas que colaborem com uma indústria alicerçada na morte de inocentes”.

Tags:
AbortoBisposIdeologiaPolítica
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia