Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Espada das Cruzadas com mais de 900 anos é descoberta Israel

Israel Antiquities Authority

JACK GUEZ | AFP

J-P Mauro - publicado em 22/10/21 - atualizado em 22/10/21

A espada estava coberta de sedimentos que a preservaram em "condições perfeitas"

Um mergulhador amador fez uma descoberta única nos arredores da costa de Carmel Beach, perto de Haifa (Israel). Enquanto desfrutava de um mergulho à tarde, Shlomi Katzin avistou um objeto incrustado de sedimentos que se assemelhava a uma espada. Ao resgatar o objeto, viu-se que era de fato uma espada. E uma da época das Cruzadas.

De acordo com The Hill, a espada, embora completamente coberta de conchas e sedimentos, foi preservada em perfeitas condições. Um pesquisador da Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA), Nir Distelfeld, descreveu o artefato:

A espada, que foi preservada em perfeitas condições, é um achado bonito e raro e evidentemente pertencia a um cavaleiro cruzado. Foi encontrada incrustada com organismos marinhos, mas aparentemente é feita de ferro. É emocionante encontrar um objeto tão pessoal, levando você 900 anos atrás no tempo para uma era diferente, com cavaleiros, armaduras e espadas.

As Cruzadas

A espada teria mais de 900 anos.  The Jerusalem Post reporta que a costa de Carmel Beach foi um viveiro de atividades cruzadas no século XII. A espada pode ter sido de uma campanha inglesa para retomar Jerusalém das mãos do sultão muçulmano Saladino. De fato, os cruzados derrotaram o sultão em 1191, na batalha de Arsuf.

Não está claro como a espada acabou no fundo do mar, não muito longe da costa. Poderia ter sido um naufrágio ou talvez uma batalha à beira-mar. A Autoridade Israelense de Antiguidades afirmou que pretende iniciar uma investigação na área onde a espada foi descoberta.

O diretor da Unidade de Arqueologia Marinha da IAA, Kobi Sharvit, observou que as evidências arqueológicas encontradas no fundo do mar são um achado sensível ao tempo. O fundo do mar está sempre mudando com as marés e eventos climáticos. Devido a essa natureza em constante mudança, a escavação e pesquisa são muito mais difíceis do que em terra firme.

“As buscas subaquáticas são dinâmicas”, disse Sharvit. “Mesmo a menor tempestade move a areia e revela áreas no fundo do mar, enquanto enterra outras. Portanto, é de vital importância relatar tais achados. Nós sempre tentamos documentá-los com rigor, a fim de recuperar o máximo possível de dados arqueológicos.”

Tags:
CulturaHistóriaHistória da Igreja
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia