Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 03 Julho |
São Raimundo Gayrard
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Por que nomear algo tem tanto poder?

ADAM NAMING THE ANIMALS

Public Domain

Michael Rennier - publicado em 02/01/22

Nossa capacidade de dar um nome a algo ou alguém é um dom de Deus

Eu tenho que admitir que fico incomodado quando as pessoas me chamam pelo nome errado.

Normalmente, eu deixo passar, mas internamente eu estremeço. Eu sei que o erro não acontece por malícia intencional, mas ainda assim, não posso deixar de sentir um pouco de ressentimento. Tanto que comecei a apontar às pessoas com calma, mas honestidade, que, se elas continuarem usando o nome errado, isso criará lenta mas seguramente um problema em nosso relacionamento. É tão importante assim.

Você pode estar se perguntando como tantas pessoas poderiam errar meu nome de forma tão consistente. Todos vocês, Michaels, saberão instantaneamente o que estou prestes a dizer – as pessoas me chamam de Mike. Que não é o meu nome. Há muitos Mikes por aí e o nome se encaixa neles e eles gostam. Acho que todos vocês, Mikes, são ótimos. Acontece que não é o meu nome, só isso.

Importância

É muito frequente que, em uma introdução ou e-mail, eu diga ou assine meu nome e a resposta imediata seja encurtá-lo e alterá-lo. Não é o maior problema, eu sei, mas realmente há algo em um nome. Eles têm um certo poder misterioso. Com o tempo, eles se desenvolvem e crescem até se encaixarem perfeitamente na nossa personalidade.

Suponho que seja por isso que Adão teve tanta dificuldade em nomear os primeiros animais, ou por que Moisés tremeu ao perguntar a Deus qual poderia ser o nome divino (e, curiosamente, foi dito que o nome de Deus é uma informação privilegiada). É por isso que os pais sofrem, pensam e rezam sobre nomes de bebês por meses, se não anos, ou por que o nome de um animal de estimação é tão importante. As crianças que ainda estão aprendendo a falar apontarão e orgulhosamente nomearão uma árvore, uma bola ou um cachorro. É assim que elas começam a fazer uma conexão pessoal com o mundo.

Nossa capacidade de nomear, ou a capacidade de usar a linguagem para descrever e definir — mesmo que a linguagem tenha limites — é um dom concedido à humanidade por Deus. Somente nós, de todas as Suas criaturas, temos isso.

Isso não significa que sempre saibamos como usá-lo.

Nomeando o que sentimos

Aprendi há muitas décadas que dentro de mim tem uma teia complexa, complicada e totalmente irracional de emoções, preconceitos e falhas de personalidade. Durante anos, eu as carreguei por aí, desconhecidos e não examinados. Eu não fazia ideia por que pensava no que pensava, por que agia da maneira que agia, dizia as coisas que dizia. Tudo saía de mim quase instintivamente. Mais tarde, eu ficaria envergonhado com isso e me perguntaria por que não me comportava de maneira mais racional.

Como eu não era capaz de identificar e nomear com precisão o que estava acontecendo dentro de mim mesmo, eu não tinha capacidade consistente de controlar meus pensamentos e ações. Isso levou a muita angústia e melancolia. Desde que percebi isso, prometi a mim mesmo fazer o trabalho necessário para nomear e entender. Este é o primeiro passo para viver com mais autoconsciência. Tenho um longo caminho a percorrer – suspeito que seja um projeto para toda a vida – mas mesmo com um pequeno progresso, notei melhorias significativas.

Se eu puder citar o motivo pelo qual estou estressado, reconhecer que estou com raiva ou admitir ciúmes, então posso tomar medidas para corrigir. Se eu puder citar a razão pela qual estou feliz, por que meus amigos são tão valiosos para mim, por que minha família merece atenção mesmo quando estou cansado, então posso expressar gratidão e buscar mais dessas experiências.

Identificar com precisão

Quando usada para identificar com precisão as falhas, a nomeação revela uma ausência que me permite identificar uma virtude oposta que desejo. Usado em um sentido positivo, um nome me ajuda a reconhecer eventos, descrever metas futuras e atribuir valor. Um nome é um dom criativo, um elo espiritual entre uma pessoa, experiência ou qualidade interior que eu valorizo tanto. O nome estende a mão e busca a realidade subjacente. Revela a beleza e o amor no coração da existência.

Este ano, olhando para o tipo de pessoa que quero me tornar e os desafios que gostaria de aceitar, o primeiro passo é identificar e nomear destemidamente tanto o bom quanto o ruim. Eu acho que entender um nome requer humildade. É uma chance de ganhar perspectiva.

É um tipo especial de conhecimento. Muitas vezes, pode ser extremamente difícil nomear o que está em nosso coração, mas acredito que vale realmente a pena.

Tags:
ComunicaçãoPsicologiaSentido da vida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia