Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 16 Maio |
Santo André Bobola Mártir (†1657) Comemoração: 16 de maio
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Bombardeio a hospital de Mariupol: ato injustificável, diz Vaticano

Zbombardowany szpital w Mariupolu

AP/Associated Press/East News

Gelsomino Del Guercio - publicado em 10/03/22 - atualizado em 10/03/22

Cardeal Parolin, secretário de Estado do Vaticano, relança a mediação da Santa Sé entre Rússia e Ucrânia

O Vaticano considera inaceitável o bombardeio de um hospital pediátrico em Mariupol pelo exército russo. Nada pode justificar tal ato, disse o cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, durante um evento na “Fraterna Domus” em Roma.

O ataque aéreo russo, segundo o chefe da administração militar regional de Donetsk, destruiu um hospital com maternidade e pediatria em Mariupol, causando pelo menos três mortes, incluindo uma criança.

Referindo-se ao telefonema que manteve com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergej Lavrov, Parolin disse que a conversa não terminou com nenhuma garantia da parte do ministro russo.

Parar a guerra

“Devemos parar a guerra, sempre há uma solução”, disse o secretário de Estado do Vaticano à agência SIR.

“A Santa Sé está disposta a fazer todo o possível para parar a guerra”, reiterou o cardeal, confirmando o papel de mediação da Santa Sé no conflito na Ucrânia.

“Sabemos que há outras tentativas de mediação: não queremos interferir, mas devemos fazer tudo para parar a guerra, que parece não acabar de jeito nenhum. Na verdade, a guerra está mostrando um rosto cada vez mais cruel, como demonstrado pelo bombardeio do hospital pediátrico Mariupol” (Agensir, 10 de março).

A missão dos dois cardeais na Ucrânia

A presença na Ucrânia de dois cardeais, o esmoleiro pontifício Konrad Krajewski, e o prefeito interino do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, Michael Czerny, é o sinal – argumenta Parolin – de que o Papa quer dar sua contribuição, tanto em um nível mais estritamente diplomático como espiritual, e também no campo da ajuda humanitária.

Por outro lado, referindo-se às palavras do patriarca ortodoxo russo, Kirill – que havia associado como causa do conflito na Ucrânia a promoção de modelos errados de vida, como as paradas gays – o cardeal disse que essas declarações não favorecem e não promovem um entendimento. Pelo contrário, correm o risco de irritar ainda mais os ânimos, levando a uma escalada que não resolve a crise de forma pacífica.

Tags:
GuerrahospitalUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia