Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 30 Setembro |
São Jerônimo
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Recordando Monsenhor Nilo (I)

WEB2-MESSE-PRETRE-GODONG-FR379058C.jpg

Pascal Deloche / GODONG

Vanderlei de Lima - publicado em 24/04/22

Soube eu da existência desse abnegado sacerdote aos seis anos de idade, época em que, junto de minha saudosa mãe, ouvia diariamente o seu programa pela Rádio

Há tempos, estou devendo um artigo a respeito do Monsenhor Nilo Romano Corsi, zeloso sacerdote que chegou a Pedreira (SP), em 1955, e aí permaneceu até o seu falecimento em 2010.

Não desejo retratar, de momento, a trajetória desse homem de Deus, pois isso já foi feito por Priscilla Raggio no livro Monsenhor Nilo Romano Corsi, fonte de sabedoria, de 106 páginas ilustradas. Meu objetivo é bem menos audacioso. Pretendo apenas tentar relatar alguns dos meus encontros com o Monsenhor Nilo, geralmente para discutir temas relevantes da vida da Igreja e da sociedade em geral.

Soube eu da existência desse abnegado sacerdote aos seis anos de idade, época em que, junto de minha saudosa mãe, ouvia diariamente o seu programa pela Rádio Cidade de Pedreira, por volta das 11 horas da manhã.

O tempo passou e, em 1996, prestando importante prova, acertei uma das questões de Língua Portuguesa graças ao Monsenhor Nilo. Explico-me: no programa radiofônico a que me referi, o Monsenhor dava uma bênção para as residências dos ouvintes e, em certo momento, falava: “Que as paredes desta casa estejam impregnadas de vossa presença, ó Senhor”, ou algo muito semelhante.

Pois bem, a prova que fiz tinha uma questão formulada mais ou menos assim: “Em qual das alternativas abaixo o prefixo in não indica negação?” e elencava as alternativas: inábil, inapto, impregnado, impossível, ingrato etc. Lembrei-me do querido “Padre Nilo” – assim também ele era conhecido – e assinalei “impregnado”, que significa cheio e, portanto, não indica negação.

Meses depois, numa conversa, contei-lhe o fato. Ele me olhou, com aquela serenidade que sempre o acompanhava, e, com sua voz pausada, respondeu: “Olha nego. Viu como sirvo para ajudar alguém em alguma coisa?”.

Encontro marcante

Devo dizer, contudo, que um dos encontros mais marcantes que tive com o Monsenhor foi, em 1997, em sua casa. Ele comemorara naquele ano seu jubileu de ouro sacerdotal, mas eu não pude participar, então o visitei depois. Queria também nessa visita tratar com ele um tema espinhoso que, embora cada vez mais comum em nossa sociedade, se mostrava preocupante e capaz de perder muitas pessoas na alma e no corpo: era a chaga da prostituição.

Em resumo, o caso era o seguinte: a partir de duas localidades bem específicas da região, se desejava formar uma rede clandestina de prostíbulos, algo que, como se vê, era sério, mas ninguém tinha bem certeza de nada, e quem, talvez, sabia de pormenores não abria a boca, por medo ou por envolvimento direto com a coisa.

Discutimos o assunto e o zeloso Monsenhor, com a sagacidade que lhe era própria, agiu rápido para desmantelar o problema. Atuou sem alardes, mas fazendo o que devia ser feito e, com confiança em Deus pela intercessão materna de Nossa Senhora, venceu a sementeira de pecados contra o 6º e o 10º mandamentos da Lei de Deus.

Além da sua fé inabalável, Monsenhor Nilo sabia também, no campo político, fazer a coisa certa, na hora certa e sem atropelos. Com sabedoria, ele trabalhava incansavelmente e – mais do que isso – trabalhava para vencer o mal com o bem, buscando apoio em fontes seguras e deixando para nós, que o acompanhávamos, a certeza de que após a sua passagem ficavam as arestas podadas e os caminhos aprumados.

Essa lição (e que lição!) dada por Monsenhor Nilo me fez confiar ainda mais nele como um porto seguro nas horas decisivas do meu caminhar, mas isso deixarei para a próxima semana, se Deus quiser.

Tags:
IgrejaPadressacerdocio
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia