Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 22 Maio |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Padre ucraniano residente em Portugal resgata da guerra a mãe de 86 anos

Idosa reza o terço

Jaroslav Moravcik | Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 02/05/22

Ele não pôde acompanhá-la na saída da Ucrânia: a senhora cruzou a fronteira a pé, apesar da idade

Um padre ucraniano residente em Portugal resgatou da guerra a sua mãe de 86 anos: o pe. Natanael Harasym, da Capelania Greco-Católica de Lisboa, precisou primeiramente convencer a mãe, Eva Harasym, a sair da Ucrânia, e, em seguida, viajou até a Polônia para encontrá-la.

O sacerdote não pôde acompanhá-la durante a saída da Ucrânia: a senhora precisou atravessar a fronteira a pé, apesar da idade. O pe. Natanael relatou à agência de notícias Ecclesia, de Portugal:

“Não foi fácil. A minha mãe não queria sair do país dela, da casa dela. Ela hesitou durante duas semanas, mas, no dia 6 de março, fez a travessia bíblica: foi de Lviv até passar a fronteira, a pé, apesar das dificuldades que ela sofre, e chegou a Cracóvia”.

O pe. Natanael foi então para Cracóvia e, de carro, levou “a mãe até a Mãe”: eles visitaram o santuário mariano de Częstochowa, padroeira da Polônia.

Agora, a mãe e dois filhos estão juntos em Portugal, onde o sacerdote já residia desde 2001. Ele comenta:

“Não diminui a dor que nos vem não só pela televisão, mas é bom ter a mãe, estar ao lado, ter aqui a mãe. Mãe é mãe. E a minha mãe está comigo e com meu irmão, que também está em Portugal. Mas o que me dói mais é ver o sofrimento de tantas mães que perderam os filhos e os filhos que perderam as mães“.

O pe. Natanael e sua mãe contam que “se sentem em casa” na comunidade de Nossa Senhora do Amparo de Benfica, no patriarcado de Lisboa:

“A mãe estranha estes dias: é uma língua que ela não entende – e não a entendem. Mas nesta situação há outra linguagem que ultrapassa o português, o ucraniano, o russo e até a linguagem gestual: é a linguagem do amor, a única em que todos vamos nos entender”.

O dia das mães é celebrado em Portugal no primeiro domingo de maio, mas na Ucrânia, assim como no Brasil, a data é o segundo domingo. O sacerdote está aproveitando para celebrar em todas as ocasiões:

“É como a Páscoa: existe uma diferença de uma semana entre ocidentais e orientais. Assim, o dia das mães também é extensível, porque mãe é mãe. Em ucraniano, temos 52 sinônimos da palavra mãe! Isso mostra o significado, porque foi ela que nos deu a vida”.

Tags:
GuerramãePadresUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia