Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 30 Novembro |
Santo André
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como reconhecer quando a fofoca está se tornando um problema na sua vida

man-gda300d007_1920.jpg

Sammy-Sander | Pixabay CC0

Cecilia Pigg - publicado em 21/06/22

As fofocas e os mexericos são comuns, mas podem ser perigosos e prejudiciais. Qual é a melhor maneira de lidar com isso?

As fofocas e os mexericos são sorrateiros. Pensei muitas vezes para comigo: “eu não tenho problema com fofocas”. Mas, na verdade, vejo que ainda há aquela pessoa ou situação em que eu gosto de partilhar coisas que eu nunca diria na frente dessa pessoa.

A fofoca é um grande problema. É contra o Oitavo Mandamento. Jesus diz que não é o que entra na boca de um homem que o contamina, mas sim o que sai da sua boca (Mateus 15,11). O hábito de fofocar nos condiciona a pensar mal dos outros, o que por sua vez torna mais difícil para nós sermos caridosos.

Participar passivamente de fofocas (apenas ouvir e acompanhar o que todos dizem) também é destrutivo. Se está a negar que a fofoca é um problema na sua vida, ou simplesmente não tem a certeza se faz ou não fofoca, aqui estão algumas formas de reconhecer este hábito sorrateiro e destrutivo.

Como reconhecer o problema

Alguma vez você já se magoou ao ouvir por acaso algo que outras pessoas disseram sobre si? Se isso lhe acontecer, é um ótimo momento para se verificar a si próprio e considerar se o faz a outras pessoas.

Há algum certo amigo ou colega de trabalho com quem se sinta à vontade e descubra que fala muito sobre outras pessoas quando se reúnem? Reflita sobre essas conversas e pergunte-se se está a partilhar demasiado, e o que está a falar. Considere também se existem certos ambientes na sua vida em que as conversas se transformam facilmente em fofocas – talvez a sala de descanso no trabalho, talvez um encontro familiar, ou uma saída com amigos(as).

Alguma vez conheceu alguém através de amigos mútuos e descobriu que já tinha uma opinião negativa sobre tal pessoa porque os seus amigos partilhavam coisas negativas sobre ela anteriormente? Isto pode significar que você não tem o hábito de evitar mexericos ou de tentar mudar de assunto. E isso pode significar apenas que também participa.

Se tem filhos, já os ouviu dizer coisas negativas sobre outros adultos, e já se apercebeu de que estão apenas imitando você? Ai, isso dói.

Tem o hábito de falar negativamente sobre pessoas que não conhece pessoalmente (celebridades, pessoas públicas, etc.)? Pode parecer que está apenas a partilhar informação pública negativa, mas isto é perigoso porque não conhece estas pessoas e pode lhe faltar contexto verdadeiro.

Como sair da rotina da fofoca?

Primeiro, reestruture a forma como fala sobre outras pessoas.

Acabe com as fofocas. Em geral, se o que estás a dizer sobre alguém que está ausente, não te sentirias confortável em dizer-lhe na cara, então não o digas. E se não quiser que alguém partilhe a informação que está a partilhar sobre a sua própria vida, então também não o diga. Isto é mais fácil de dizer do que fazer, mas tem de se começar.

Em segundo lugar, reestruture a forma como pensa sobre as outras pessoas.

Isto irá ajudá-lo a chegar à raiz do problema dos mexericos. Há um antídoto útil que Santa Teresa de Liseux apresenta na sua autobiografia História de uma Alma.

Ela conta uma história da sua vida quando uma colega pediu voluntários para ajudar num projeto, e Teresa levou deliberadamente o seu tempo a voluntariar-se para que outra irmã pudesse manifestar-se. Teresa estava a fazer isto por amor à outra irmã, mas as pessoas notaram o atraso de Teresa e acusaram-na de preguiça porque não se levantou logo para ajudar.

Santa Teresa percebeu então que se as pessoas viam uma ação bem intencionada e virtuosa sua como um vício, então quantas vezes poderia ela ter julgado mal as ações dos outros como falhas, quando elas eram realmente boas ações?

Quanto menos julgamos as ações de outras pessoas, e quanto menos atribuirmos má vontade e defeitos a outras pessoas, menos mexericos faremos.

Tags:
AmizadeFofocaPecado
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia