Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Agosto |
Bem-aventurado Gabriel Maria de Benifayó
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Ateísmo ‘religião’ cresce rápido nos EUA

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
PUSTE ŁAWKI W KOŚCIELE

Shutterstock

I.Media para Aleteia - publicado em 18/07/22 - atualizado em 18/07/22

O seu resumo das principais notícias do dia: uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Segunda-feira, 18 de Julho de 2022

1 – Ateísmo, a “religião” de mais rápido crescimento nos Estados Unidos
2 – “A tradição não é um monumento a preservar, mas um jardim a cultivar”, diz teólogo
3 – A Igreja Católica deveria abolir a exigência do celibato para os padres?


1 – Ateísmo, a “religião” de mais rápido crescimento nos Estados Unidos

“Não ser religioso” (ser “nones”) tornou-se uma identidade americana específica, nota este artigo no The Atlantic. Enquanto no início do século XX nove em cada dez americanos afirmavam acreditar em Deus e pertencer a uma religião organizada, no início da década de 1990 a ligação histórica entre a identidade americana e a fé tinha sido quebrada. O número de pessoas não-religiosas tem vindo a aumentar desde então. A questão óbvia, então, é: O que aconteceu por volta de 1990? De acordo com Christian Smith, professor de sociologia e religião na Universidade de Notre Dame, a onda não-religiosa na América é principalmente o resultado de três acontecimentos históricos: a associação do Partido Republicano à Direita Cristã, o fim da Guerra Fria – quando parecia pouco patriótico admitir a ambivalência para com Deus enquanto os Estados Unidos estavam envolvidos num confronto geopolítico com um império maligno – e o 11 de Setembro – quando se difundiu a ideia de que todas as religiões eram inerentemente destrutivas. Além disso, os escândalos no seio da Igreja Católica aceleraram a sua perda particularmente rápida de estatura moral. Assim, muitos ‘nones’ são ex-católicos. No entanto, segundo o autor do artigo, permanece um passado cristão: os jovens podem não ser capazes de citar o Evangelho de Mateus, mas as suas políticas económicas e sociais não estão tão distantes de uma certa leitura das Bem-aventuranças. E depois, se considerarmos a religião como um pacote – uma teoria do mundo, uma comunidade, uma identidade social, um meio para a paz e um objetivo, e uma rotina semanal – poderíamos dizer que milhões de americanos abandonaram a religião, apenas para a recriarem em todo o lado para onde olhem.

The Atlantic, inglês

Por ocasião do primeiro aniversário de  Traditionis custodes, o académico italiano Andrea Grillo, que ensina teologia dos sacramentos e filosofia da religião no Pontifício Ateneu de Santo Anselmo em Roma e liturgia na Abadia de Santa Justina em Pádua, congratula-se com o fato de o Papa Francisco ter reorganizado a situação após a confusão causada pelo motu proprio Summorum Pontificum de 2007, “que tinha criado quase ex nihilo o entendimento paralelo de duas formas rituais do mesmo rito romano”. A atração pelo Rito Extraordinário tinha-se tornado um “critério de promoção ao episcopado” e um “critério de formação no seminário”, lamenta Andrea Grillo, denunciando este “paralelismo ritual” como “uma ideia teologicamente infundada, eclesiologicamente perigosa e liturgicamente destrutiva”. Por conseguinte, considera que o Papa Francisco tinha razão em reformular a questão, tal como amplificada pela recente carta apostólica Desiderio desideravi. “A tradição não é um monumento a preservar, mas um jardim a cultivar”, explica o professor de liturgia, que acredita que uma formação litúrgica “unitária, não contraditória e espiritualmente não destrutiva” é indispensável nos seminários, onde a formação nas duas formas conhecidas como “ordinárias” e “extraordinárias” criou por vezes desequilíbrios que se refletem nas paróquias, divididas em duas comunidades distintas de acordo com sensibilidades litúrgicas por vezes contraditórias em relação às decisões tomadas pelo Concílio Vaticano II.

Munera, italiano


3 – A Igreja Católica deveria abolir a exigência do celibato para os padres?

De acordo com um artigo de opinião do semanário britânico The Economist, se os católicos querem “reduzir o flagelo do escândalo de abuso sexual pelos clérigos, deveriam exigir o fim da regra que exige o celibato sacerdotal”. “O abuso sexual católico envolve não só maçãs podres, mas também um pomar podre”, afirma o artigo, citando como, só em França, o número de vítimas foi estimado em 216.000 durante um período de 70 anos entre 1950 e 2020. O artigo afirma que muitas pessoas não aderem ao sacerdócio por causa da necessidade de serem celibatárias, mas que os pedófilos podem sentir-se atraídos por este estilo de vida que não envolve a responsabilidade de uma família, e que a Igreja não fez o suficiente para eliminar “aqueles que representam um perigo para o seu rebanho”. “Se a Igreja deixasse de exigir que os padres fossem celibatários (ou que fossem apenas homens), poderia recrutar a partir de um horizonte muito mais amplo. Se também as monitorizasse melhor e agisse mais rapidamente, menos pessoas seriam maltratadas”, conclui o artigo.

The Economist, inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia