Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Sisto II
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Papa Francisco quer ir à Ucrânia

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
POPE-FRANCIS-AUDIENCE-Antoine-Mekary-ALETEIA

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 20/07/22 - atualizado em 20/07/22

O seu resumo das principais notícias do dia: uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Quarta-feira 20 de Julho de 2022

1 – O seu “ministro do Exterior” diz: o Papa quer ir à Ucrânia
2 – Não! O celibato sacerdotal não é responsável por abusos
3 – Curzio Malaparte, uma conversão de última hora


1 – O seu “ministro do Exterior” diz: o Papa quer ir à Ucrânia

Numa longa entrevista à revista America, o Bispo Paul Richard Gallagher, Secretário para as Relações com os Estados, faz uma retrospectiva das grandes crises internacionais do momento. “Estamos a atingir uma situação muito perigosa em todo o mundo […] e não seria preciso muito para que as coisas piorassem ainda mais”, preocupa-se na primeira parte da entrevista, observando que para além das guerras abertas, alguns países estão também fraturados internamente pela polarização social ou por conflitos entre diferentes sistemas políticos. “Seja a nível político, diplomático ou eclesial, devemos reconhecer a realidade deste conflito e tentar curá-lo”, insiste o chefe da diplomacia papal, que observa que o sistema multilateral tem sido “gravemente enfraquecido”. Relativamente à situação na Ucrânia, sublinhou “a resiliência do povo, a sua determinação, a sua coragem”, e reconheceu que é “muito difícil para os ucranianos preverem negociações reais neste momento, devido à profundidade do sofrimento e ao trauma da população”. Ele sugere que um convite do Papa a Moscou não está nas cartas, e faz um importante esclarecimento sobre o seu apoio à “integridade territorial da Ucrânia” durante a sua visita a Kiev. “Eu estava a falar em nome da Santa Sé, e o Santo Padre ainda não me corrigiu no que disse em seu nome. “Penso que a principal prioridade do Papa neste momento é visitar a Ucrânia, encontrar-se com as autoridades ucranianas, encontrar-se com o povo ucraniano e com a Igreja Católica ucraniana”, disse o Arcebispo Gallagher, que disse que uma possível visita poderia ser estudada após o regresso do Papa ao Canadá, dependendo da sua saúde.

America, inglês

Respondendo ao artigo do The Economist publicado na segunda-feira, Il Sussidiario critica sarcasticamente o semanário britânico, que “nada poupa ao clero e à Igreja, dando a sua versão ‘iluminada'” do problema, apontando o celibato dos padres como a causa de todos os males. “O conceito – falso e falsificado – é sempre o mesmo, diz o jornal italiano: com estas regras, a Igreja perde o consenso e as vocações, pelo que as regras devem ser alteradas e ‘diluídas’ para ir ao encontro do mundo. O The Economist “não compreende plenamente o ‘dom’ – como o Papa Francisco lhe chama – do celibato, contentando-se em apontar as suas alegadas deficiências à luz do drama da pedofilia e da escassez de vocações”, lê-se no artigo. Para Il Sussidiario, “não se trata de dizer que, sem o celibato, os problemas da pedofilia seriam eliminados, mas sim de outro ponto de vista”, o que foi expresso por Bento XVI – que levantou o véu sobre os crimes de pedofilia. Isto centra-se na relação com a Eucaristia, ou seja, com Cristo: “Da celebração diária da Eucaristia, que implica um serviço permanente a Deus, segue-se espontaneamente a impossibilidade de um vínculo matrimonial”.

Il Sussidiario, italiano


3 – Curzio Malaparte, uma conversão de última hora

O website católico espanhol Alfa & Omega tem um artigo fascinante sobre o escritor italiano Curzio Malaparte e a sua conversão de última hora. O escritor foi durante muito tempo um apoiador do fascismo de Mussolini até se virar e passar ao comunismo. Um homem extremo que serviu à literatura mais do que às grandes ideologias, e finalmente converteu-se nos seus anos crepusculares. É o que nos diz o jesuíta Virgilio Rotondi, que afirma que ele pediu o batismo a uma enfermeira religiosa quando estava no hospital e que o seu estado se tinha agravado. Diz-se que ele confessou e depois comungou. O jesuíta afirma também que prometeu escrever uma vida de Cristo se sobrevivesse ao calvário, finalmente aceitou o seu sofrimento e depois pediu um crucifixo para o acompanhar nas suas últimas horas. Esta conversão não foi universalmente aceita e muitos viram-na como uma tentativa da Igreja Católica de “recuperar” o escritor. Mas o autor do artigo salienta que a sua atenção particular ao Cristo sofredor nas suas últimas horas é um episódio credível.

Alfa & Omega, espanhol

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Abusos SexuaisPadresPapa FranciscoResenha de ImprensaUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia