Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Agosto |
Bem-aventurado Gabriel Maria de Benifayó
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Os médicos aconselharam o contrário. Mas contra todas as probabilidades, eles viveram para ter três filhos!

Charli Kate Adams

@charli_kate | Instagram

Anna Gębalska-Berekets - publicado em 01/08/22

Charli Kate Adams sofre de acondroplasia - uma forma de nanismo. O seu marido Cullen sofre de displasia acromial, o que significa que o seu corpo nem sequer cresceu a uma altura média.

Charli Kate Adams tem apenas 121 cm de altura. Ela tem acondroplasia, o tipo mais comum de nanismo. O seu marido, Cullen, também tem baixa altura e sofre de displasia geleofisária, uma forma mais rara da doença que pode causar mais complicações. Devido aos problemas de saúde que ambos têm, os médicos aconselharam que eles não tivessem filhos. Mas a verdade é que hoje o casal vive muito bem – e com três filhos.

Kate decidiu criar uma conta no Instagram para documentar as aventuras diárias da família. Os seus posts têm atraído milhões de internautas em todo o mundo. “Todos gostam de ver as nossas fotografias de família, recebemos sempre comentários encantadores da maioria das pessoas”, diz a mulher. No entanto, ela admite que também existem posts negativos. “Aprendi a apenas ignorar e bloquear qualquer pessoa que nos insulte”, acrescenta a Kate Adams.

View this post on Instagram

A post shared by Charli Adams (@charli_kate)

Cada gravidez é um milagre

O casal encontrou-se num campo de treino dos World Dwarf Games na Austrália em 2012. Eles decidiram se casar, apesar de estarem bem conscientes dos obstáculos que os esperavam.

Acima de tudo, estavam acompanhados de dúvidas sobre a saúde dos seus filhos. Perguntavam-se se as crianças seriam também portadoras de uma das síndromes que tinham. No entanto, eles queriam tornar-se pais. Ficaram sabendo pelos médicos que havia apenas 25% de chances de que seus filhos não fossem de baixa estatura. Havia também um risco elevado de que as crianças não sobrevivessem. Apesar de anos de hesitação, a mulher ficou grávida em 2015. O casal esperou ansiosamente pelos resultados dos testes genéticos. Os médicos também tinham preocupações.

“A baixa estatura de Cullen e a minha são causadas por vários problemas genéticos. Há basicamente quatro possibilidades que podem acontecer: o nosso bebé pode ter um crescimento normal, ou nascer com a minha acondroplasia, ou a displasia acromial de Cullen. Há também a possibilidade de o bebé desenvolver ambos os defeitos, o que significa que ele ou ela não sobreviverá muito tempo após o nascimento”, explicou Kate numa entrevista.

Os médicos advertiram ainda que o bebê poderia ter problemas de coluna vertebral. A filha mais velha chama-se Tilba e herdou o problema genético da sua mãe.

“O meu pai tem uma altura média, mas a minha mãe tem nanismo. De fato, fui diagnosticada com nanismo. Mas até 2015, quando estava grávida de Tilba, simplesmente não sabia de que tipo era”, explica Kate.

Tilba rapidamente se transformou numa menina feliz e vivaz que encantou todos à sua volta. No entanto, não foi sem dificuldades. Os problemas começaram quando a rapariga foi para a escola. Ela passou a sofrer bullying.

Após o nascimento da sua filha, os Adams criaram uma conta na Instagram para conscientizar sobre a situação e mostrar um pouco da sua vida.

Apesar das advertências dos médicos, o casal decidiu ter de novo um filho. Uma outra filha – Tully – recebeu também o mesmo diagnóstico que a sua mãe.

Em 2020, Kate ficou grávida pela terceira vez. O casal acolheu um rapazinho no mundo e deu-lhe o nome de Rip. Ao contrário das suas irmãs, o rapaz não tem acondroplasia nem displasia acromial. Isto significa que ele crescerá a uma altura “padrão”.

Uma família completa

Os Adams não podem esconder a sua felicidade e emoção. Sublinham que sentem uma grande satisfação graças aos seus filhos e que a sua família está finalmente completa. Vivem a vida ao máximo e as crianças são o seu maior sucesso. Cullen é dono do seu próprio negócio e Kate trabalha para um grande operador de telecomunicações.

“Ainda não tivemos muitos problemas de saúde, mas continuamos a tentar manter-nos em forma e ativos, exercitando-nos na academia e em casa”, explica Kate.

Através dos meios de comunicação social, os Adams estão a tentar dissipar estereótipos e preconceitos sobre pessoas baixas. “Ambos temos pais que sempre nos apoiaram e nunca arranjaram desculpas para a doença. E nunca permitimos que o nosso nanismo fosse uma desculpa para não fazer a coisa certa”, salienta Kate.

Fontes: wtvideo.com; apost.com; dailymail.co.uk; en.newsner.com; Charli Adams/Instagram

Tags:
CasamentoFamíliaFilhosSaúdeTestemunho
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia